Sábado, 04 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Pronto atendimento infantil em PG: Entenda como será realizada a transferência do Humai para a UPA Santa Paula

24/09/2021 às 17:38

Na tarde desta sexta-feira (24), durante coletiva de imprensa, o HU-UEPG e a Prefeitura de Ponta Grossa confirmaram a suspensão do pronto atendimento infantil no Hospital Universitário Materno Infantil (Humai) e a transferência do serviço para a UPA Santa Paula. O pronto atendimento passará a ser realizado na UPA Santa Paula a partir das 23h59 desta quinta-feira (30). Estiveram presentes na coletiva, o diretor geral do HU-UEPG, Ricardo Zanetti; o chefe da 3ª Regional de Saúde, Robson Xavier e o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Manjabosco.

Segundo o diretor geral do HU-UEPG, Ricardo Zanetti, o objetivo da transferência é expandir o atendimento do Humai. Agora, o Hospital passa a atender três Regionais de Saúde que, juntas, abrangem 28 municípios e totalização mais de 1 milhão de habitantes.

Zanetti explica que os dois pontos de atendimento passarão por um período de transição nos próximos dias e nenhuma criança deixará de ser atendida. “Entre segunda e quinta-feira teremos um período de transição, tanto a UPA quando o Humai estarão atendendo, para que minimize os erros de fluxo. Mantivemos esses quatro dias, até que a população esteja completamente avisada”, explica.

Já o chefe da 3ª Regional de Saúde, Robson Xavier, defende que a transferência do pronto atendimento representa um processo de organização e qualificação do serviço de Saúde em Ponta Grossa. “Entendemos que esta é uma medida adequada. Já temos nove especialidades pediátricas, diminuímos o número de crianças que precisam se deslocar para Curitiba, ou outras cidades, para atendimentos mais complexos. Esse é um passo importante”, enfatiza.

Por que a UPA Santa Paula? 

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Manjabosco, afirma que a UPA Santa Paula foi escolhida para receber o pronto atendimento infantil porque esse serviço já era oferecido lá, antes da pandemia de COVID-19 e, portanto, já possui toda a estrutura para retomar o atendimento. “Só desativamos porque aquela estrutura era referência de COVID-19 no município”, afirma.

Além disso, o secretário também afirmou que a transferência de pacientes da UPA até o Humai, será realizada por meio do Samu.

Unidades Básicas de Saúde 

Só no último mês, o Hospital Materno-Infantil realizou, em média, 4,5 mil atendimentos. Com a transferência, todos os atendimentos realizados no Humai serão referenciados, ou seja, precisarão de encaminhamento via Central de Leitos ou pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Com isso, Manjabosco explica que o atendimento para casos leves deve ser procurado na atenção primária, ou seja, nas Unidades Básicas de Saúde mais próximas da residência dos pacientes. Quando o caso não puder ser resolvido nas UBS’s, a Unidade poderá encaminhar os pacientes até a UPA. “Se invertemos o processo de atendimento, quem perde é a população. Os hospitais não conseguem atender toda a população, mas a unidade de saúde, sim”, afirma.

“As Unidades Básicas de Saúde têm um papel fundamental no atendimento da rede. Isso é o que precisamos entender. O município tem duas UPA’s, temos em média 480/500 atendimentos por dia, nas duas juntas. 60% dos atendimentos poderiam ser realizados em Unidades de Saúde, mas infelizmente temos esse mau costume ainda. Enquanto mantermos isso, teremos superlotação nas UPA’s”, completa.

Confira o pronunciamento completo: