Quinta-feira, 07 de Julho de 2022

“Se nós não mudarmos o comportamento, isso pode piorar”, alerta Everson Krum sobre Covid-19 em PG

20/05/2022 às 10:44

Em entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero na rádio Lagoa Dourada FM, nesta sexta-feira (20), o professor Everson Krum alertou a população sobre a circulação do vírus da Covid-19 em Ponta Grossa.

Na última semana, de acordo com os boletins oficiais da Fundação Municipal de Saúde de Ponta Grossa, houveram 321 novos casos de Covid-19, sendo 50 divulgados na sexta-feira (13); 65 casos na segunda (16); 74 casos na terça (17); 63 na quarta (18) e 69 casos na quinta (19). O número é preocupante porque, segundo Krum, mostra que o vírus continua circulando no município.

O professor relata que o informe divulgado pela Fiocruz nesta quinta-feira (19) manifestou preocupação sobre a estagnação da vacinação do público jovem, o que reflete no registro frequente de casos positivos. “O relatório da Fiocruz mostrou que estamos estagnados na vacinação do público de 20 anos, que somente 30% tomou a vacina e no público de 18 a 19 anos, apenas 25% está imune”, pontua.

Além disso, Everson comenta sobre o aumento de casos de síndrome respiratória aguda. “Recebemos o relato dos pronto atendimentos de hospitais particulares e públicos, em que explodiu o número de atendimentos da síndrome, de adultos e crianças. Mas por que isso? O que a ciência explica? Durante dois anos ficamos nos cuidando, usando máscara, higienizando as mãos, mantendo certa distância. Faz dois meses que paramos de usar as máscaras e diminuiram os cuidados. Os vírus estavam ‘quietos’ porque não tinham condições de proliferar. Quando baixamos a guarda, eles conseguiram proliferar e tudo que estava parado nesses dois anos, começou a circular de novo”, explica.

Krum ainda alerta. “Se nós nao mudarmos o comportamento, isso pode piorar. A forma de evitar é a higienização das mãos e distanciamento sempre que for possível”, completa. Ele ainda relembra que o isolamento domiciliar deve ocorrer sempre que houverem sintomas, como dor na garanta e dor no corpo, por exemplo. “Se isola primeiro e a partir do terceiro dia já pode fazer o teste antígeno. O auto-teste de farmácia não pode, porque precisa de mais tempo de sintomas”, afirma.

E a pandemia vai acabar? Everson Krum destaca que a vacinação é um ponto chave para esta resposta. “Em 2009 tivemos o H1N1 que também teve efeitos devastadores, mas não chegou a fechar o mundo como a Covid. Aos poucos fomos sendo vacinados, criamos anticorpos e prevenimos com a vacina para os grupos de idosos e crianças”, explica.

“Para o coronavírus, a hora que atingirmos um bom nível de vacinação no mundo com 60% a 70% de imunização, nós vamos conviver com este vírus e no segundo semestre vai ter vacinação para os que são mais sensíveis, idosos e crianças. E assim faremos como todo ano, vai ser como a vacina da gripe”, conclui.

Confira a entrevista completa: