Quinta-feira, 09 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Tendências D’P: Mercado têxtil nacional, um berçário de oportunidades

17/11/2021 às 09:29
Conteúdo exclusivo publicado na Revista D’Ponta #287 Outubro/2021

Os impactos da pandemia impulsionaram empresas do ramo têxtil a novos caminhos, a exemplo das empreendedoras Heloisa Bastiani e Nany Benini, com a criação de um laboratório de modas. Como tantas outras marcas, as indústrias têxteis também sofreram os efeitos determinados, em 2020, quando do início da pandemia da Covid-19. Também tiveram que enfrentar os desafios e reflexos do fechamento de cidades, aeroportos e portos, além do isolamento social.

A necessidade de conviver com as tentativas implementadas para conter o avanço do vírus fez o mercado têxtil buscar alternativas para evitar a quebra da cadeia produtiva e a ruptura da oferta de produtos e serviços. Neste aspecto, encontrou saída dentro da própria casa, ou seja, iniciou, desde os primeiros momentos da crise, um processo de migração e fortalecimento do mercado têxtil nacional, procurando suprir as demandas com apoio das empresas brasileiras.

Indicadores positivos

Os resultados foram surpreendentes e positivos. Diante da necessidade de se reinventar e se adequar à nova realidade, o preço do mercado nacional ficou competitivo, se comparado aos transtornos e valores de importação vividos nesse momento. Assim, a indústria nacional encontrou um cenário favorável e incentivo suficiente para fomentar a nacionalização da cadeia produtiva.

Produtores, comerciantes e empresários brasileiros vislumbraram oportunidades para execução dos projetos. Inclusive encontraram novos modelos de trabalho, apesar da crise econômica. Para atender a alta demanda e dar continuidade às suas atividades, empresas e marcas do mercado da moda nacional, aliadas a profissionais capacitados e adaptados às tecnologias, recorreram à terceirização da mão de obra. O que permitiu atender de forma rápida e com custos atrativos os consumidores em sua busca por mercadorias e serviços.

A terceirização do trabalho no ramo têxtil ocorre no âmbito de grandes marcas do varejo até em empresas menores, como as confecções, dando claros sinais, além de bons motivos, de que permanecerá com indicadores positivos. Por isso, jovens empreendedores têm somado esforços para atuar nessa esfera, encontrando, além de espaço, procura por marcas e empresas.

Blend Fashion Lab.

Nesse aspecto, destaca-se o exemplo do laboratório de moda desenvolvido pelas empreendedoras Heloisa Bastiani e Nany Benini, que também buscaram, no período de pandemia, uma nova oportunidade para o desenvolvimento de habilidades. As amigas deixaram o setor privado para criarem juntas um estúdio. Trata-se do Blend Fashion Lab., onde marcas, empresários e empresas podem terceirizar uma série de serviços da cadeia produtiva do mundo da moda.

Entre um atendimento e outro, as sócias Heloisa e Nany destacam que o Blend Fashion Lab. surgiu com o propósito de materializar ideias no ramo da moda. Elas contam que o estúdio Blend busca entender os desejos do seu cliente para entregar um produto com a essência da marca contratante. “Blend significa misturar. É a técnica utilizada por enólogos na mistura de castas de uvas para criar vinhos inéditos”, diz Heloisa, assinalando que “foi assim, misturando estilos diferentes para alcançar novidades, que nasceu o Blend Fashion Lab.”.

Técnica e Criatividade

As duas amigas misturaram técnica e criatividade, uniram pesquisa e experiência para desenvolverem juntas o laboratório de moda. Com mais de uma década de atuação no segmento fashion,  Heloisa Bastiani e Nany Benini oferecem uma série de serviços para o desenvolvimento e materialização da moda, uma das maiores expressões de arte.

Foco e Trabalho

O foco do Blend Fashion Lab. concentra-se em empresas e marcas do ramo têxtil que pretendem terceirizar um serviço. O estúdio entrega pesquisas de tendências e atende às demandas pontuais, ou ainda realiza o desenvolvimento completo da coleção, de acordo com o interesse dos clientes da área.

Heloisa e Nany  explicam que o trabalho do laboratório inicia com a captação de informações, conforme o desejo do cliente, observando questões técnicas, artísticas e, obviamente, econômicas. “Todo o trabalho é acordado previamente para que os resultados alcancem seus objetivos, sempre tratados com dedicação suficiente para surpreender”, pontua Heloisa.

Além de funções de planejamento, como o desenvolvimento do cronograma de uma coleção ou definição do mix de produtos, o Blend também pode ser contratado para atuação desde os primeiros processos de produção até a entrega da peça-piloto. Ou seja, trata-se de uma gama diversificada e extensa de serviços oferecidos.

“Nós também trabalhamos, ainda, com aqueles que têm foco nos magazines, o chamado private label, salientam as sócias. “É um segmento que têm crescido bastante e atraído muitas marcas e empresários em razão do retorno financeiro. Nós temos experiência para atuar nesses moldes e contamos inclusive com empresas parceiras para a execução das peças”,  ressalta Nany.

Estrutura e Tecnologia

Atualmente, o estúdio conta com estrutura para atender nas cidades catarinenses de Brusque e Balneário Camboriú. “O mercado vem se reinventando e adaptando-se. Apesar da nossa vitrine ser Balneário, Brusque é um polo nacional do ramo têxtil. É lá que a magia acontece”. Além dos dois escritórios, o Blend também atende em outras regiões e estados, com muito mais facilidade em razão da tecnologia que dispõem para atender seus serviços, segundo frisam as sócias.

Informações e Serviços

Para outras informações sobre o laboratório de moda, os interessados podem acessar o endereço eletrônico [email protected] ou ainda pelos telefones (47) 99625-6120 ou (47) 99636-9937.

Serviços oferecidos pelo Blend Fashion Lab.:
pesquisa de tendências; cronograma de coleção; mix de produtos; desenvolvimento de coleção; ficha técnica; modelagem; peça-piloto; private label; ilustrações e estampas.