Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Teólogo explica o que a Ciência diz sobre a figura histórica de Jesus Cristo

2023-04-11 às 17:24

Em entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba), nesta terça-feira (11), o jornalista, professor e teólogo Kevin Furtado falou sobre a figura histórica de Jesus Cristo e os relatos científicos sobre a sua existência.

No plano acadêmico, o estudo da figura histórica de Jesus é baseado nos dados que existem enquanto conhecimento científico. “Temos dados confiáveis, é consenso entre os pesquisadores de Jesus histórico, sejam eles cristãos ou não, que a figura histórica de Jesus de Nazaré existiu. Nós não temos muitas fontes, isso é fato, temos que pensar que, historicamente, essa figura passou pela Terra, dois mil anos atrás, e às vezes esquecemos o modo como o conhecimento era formulado, como as tradições eram transmitidas”, afirma.

Furtado explica que os evangelhos da Bíblia foram escritos cerca de 30 a 40 anos depois da morte de Jesus – anteriormente, o conhecimento era transmitido de maneira oral. “As pessoas que conviveram com Jesus naquela época foram morrendo e os primeiros cristãos sentiram a necessidade de documentar aquele tipo de informação. Já não era mais a testemunha ocular, não eram mais os discípulos que viram Jesus agindo, mas ouviram de outras pessoas e registraram”, conta.

Qual foi o motivo da morte de Jesus Cristo?

“Jesus era um excelente mestre espiritual e religioso. Seus ensinamentos de fato são muito profundos e genuínos, porque quando observamos os relatos dos evangelhos, o discurso se alinha com as ações dele, em prol da libertação, do bem-estar e do amor com as pessoas”, diz Kevin Furtado, ressaltando que Jesus foi um homem revolucionário.

Mas, historicamente, por que Jesus foi morto? “No contexto religioso e teológico, a igreja vai dar a explicação religiosa, teológica, voltada com o fim de salvação, mas historicamente por que Jesus é preso e morto? Porque Jesus era um agitador social, era revolucionário, não querendo comparar com o que entendemos hoje como revolucionário, nem atrelar à lógica dos partidos políticos, mas ele lutava por causas sociais, uma expressão rica nos evangelhos é o reino de Deus ou reino dos Céus, ele veio trazer o reino dos céus, que era uma coisa que Jesus queria implantar naquele momento. Consistia em tornar a vida das pessoas mais humana, mais digna”, explica.

O teólogo observa que Jesus criticava os líderes religiosos da época e em seu julgamento, “a justificativa dada foi prática e não ligada aos valores religiosos, ‘olhe esse aí está dizendo que a gente não precisa pagar imposto’. Além desse aspecto, outro que está ligado à questão econômica, Jesus disse que perdoava os pecados. Historicamente isso significa que no sistema econômico religioso judeu, toda vez que uma pessoa pecava, ela tinha que pagar um sacrifício no templo, ela tinha que adquirir um animal e em alguns casos até ofertar para o sumo sacerdote. Quando Jesus perdoava os pecados, ele dizia: não precisa desse sistema de sacrifício, você fala diretamente com Deus e ele vai te perdoar, isso também ruía o sistema econômico”, afirma.

Infância e juventude de Jesus Cristo

Existem poucas informações sobre a infância, adolescência, juventude e início da vida adulta de Jesus, segundo o estudioso. “Alguns textos, que não são considerados canônicos, ou seja aprovados por uma instituição religiosa, a igreja, que forma o que hoje a gente tem a Bíblia, têm relatos que entendemos como fantasiosos ou mitológicos da história de Jesus, mas infelizmente a Bíblia é omissa em relação ao que aconteceu na vida de Jesus nos 26 dos seus 33 anos de existência”, diz.

O único relato do início da adolescência de Jesus na Bíblia está descrito em um dos evangelhos. Jesus tinha 12 anos e foi com sua família para Jerusalém, em uma peregrinação obrigatória para todo judeu. “Aí ele se perde dos pais, eles ficam desesperados, não sabiam onde ele estava e eles encontram Jesus debatendo com os chamados Doutores da Lei, que tinham conhecimento teológico da época, como se ele estivesse no meio de padres, pastores, ou bispos, e Jesus debatia com eles a respeito das escrituras judaicas. Mitos temos vários, mas quando pensamos no Jesus histórico, esse é o único relato que temos”, pontua.

Em qual dia Jesus nasceu?

Os pesquisadores dizem que é praticamente impossível dizer em qual dia Jesus nasceu, revela Kevin Furtado. A escolha da data pela Igreja Católica foi uma maneira de conseguir mais adeptos, conforme explica o estudioso. “O poder romano atrela a data do nascimento de Jesus a um outro acontecimento: no dia 25 de dezembro era comemorado o dia do ‘sol invictus’, o sol vitorioso. Aí a Igreja se apropria dessa data e passa a divulgar Jesus como sol vitorioso, portanto se estabelece esse dia como Natal”, conta.

Jesus tinha a pele clara?

A informação de que Jesus tinha a pele, cabelos e olhos claros é um mito, segundo Furtado. “Jesus nasceu em uma região em que não tínhamos pessoas com essa cor de pele. Jesus não era como é retratado, com cabelo claro, olhos claros, mas esse é um artifício para conseguir adeptos, porque o Cristianismo explode na Europa, onde as pessoas tem a pele branca, olho claro”, aponta.

Confira a entrevista completa: