Começa em Londrina a 6ª Semana Municipal de Justiça Restaurativa | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024

Começa em Londrina a 6ª Semana Municipal de Justiça Restaurativa

2023-11-14 às 08:36
Foto: Vivian Honorato

Na tarde desta segunda-feira (13), houve o lançamento da 6° Semana Municipal de Justiça Restaurativa. Organizada pela Organização da Sociedade Civil (OSC) Londrina Pazeando e Conselho Municipal de Cultura de Paz (Compaz), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME), a programação traz várias atividades voltada às práticas restaurativas. A abertura, realizada no auditório da Unopar Anhanguera – Campus Catuaí, contou com a apresentação da 21ª edição do livro Londrina Pazeando 2023 que, pela primeira vez, está disponível exclusivamente em formato virtual.

O livro Londrina Pazeando 2023 traz um compilado de materiais produzidos por estudantes e professores da rede pública e privada de Londrina, entre escolas, Centros de Educação Infantil, universidades e colégios. Vários alunos, inclusive da rede municipal, foram conferir a apresentação do material.

Foto: Vivian Honorato/PML

Entre eles, Carlos Henrique Mariano Iziquiel, de 11 anos, que está cursando o 5° ano na Escola Municipal Jadir Dutra de Souza, localizada no Patrimônio Selva. “Escrevi a redação na escola e fiquei feliz de fazer parte do livro. E a gente precisa falar sobre a paz nas nossas escolas, para não termos brigas nem bullying”, disse.

A redação de Carlos Henrique, intitulada “Promotores da Paz”, aborda dois pacifistas mundialmente conhecidos, Malala e Gandhi. Também comentou sobre os objetivos previstos na Agenda 2030, atendendo ao tema do livro que, este ano, é “Como o Pensamento dos Pacifistas como Gandhi, Malala e outros, contribuem com a AGENDA 2030 e o ODS”.

Foto: Vivian Honorato/PML

O gestor do Londrina Pazeando e secretário-executivo do Compaz, Luis Cláudio Galhardi, explicou que os temas propostos pela Agenda 2030 abrangem a sustentabilidade e outras questões urgentes. “É importante mudar nossos hábitos, consumir somente o que é necessário e razoável, optar por mercadorias que não gerem tanta poluição. Tudo isso é incorporado por esses 17 objetivos, sendo que um deles é a Justiça e Paz. Trouxemos isso aos autores dos textos e desenhos, para que pesquisassem como os pacifistas contribuíram em suas trajetórias para conseguirmos atingir esses pactos”, detalhou.

Representando todos os autores do livro, a estudante Mariany Cristina Pereira de Souza, matriculada no 2°ano do Ensino Médio no Colégio Estadual Sagrada Família, leu sua redação “A Luta Pela Igualdade de Gênero: Um Caminho a Perseguir”. E, além do site do Londrina Pazeando, a coletânea também pode ser adquirida em formato e-book na biblioteca virtual da Amazon.

Foto: Vivian Honorato/ PML

Durante a abertura da Semana Municipal de Justiça Restaurativa, a secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, elencou algumas das ações presentes nas escolas para desenvolver a empatia, o respeito ao próximo e outros princípios relacionados à cultura de paz. “Temos um trabalho bem estabelecido em Londrina sobre a cultura de paz. E a paz começa dentro de casa, nas conversas e diálogos. Uma das atividades mais fascinantes que o Círculo de Diálogo proporciona é esperar o outro terminar para poder falar. E essa atividade tão simples ensina respeito ao próximo, respeito aos sentimentos do colega, o que melhora o ambiente de estudo e esperamos que reverbere e continue nas casas. Londrina é pioneira em falar e trabalhar essa cultura de paz, e isso começa com as estratégias da Justiça Restaurativa que ensinamos nas escolas. No mínimo, teremos uma geração melhor”, detalhou.

Nos círculos de diálogos previstos na Justiça Restaurativa, os participantes utilizam o objeto da palavra, que é passado de pessoa a pessoa, e somente quem estiver portando esse objeto tem direto a falar naquele momento. Todos que compareceram na abertura da 6ª Semana Municipal de Justiça Restaurativa foram distribuídos em diferentes círculos, para abordar como foi o processo de pesquisa e produção do material para o livro do Londrina Pazeando. Esses círculos foram conduzidos pelas professoras mediadoras da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Foto: Vivian Honorato/PML

A vice-presidente do Compaz e professora responsável pelo Programa VIDA da SME, Carla Cordeiro, contou que os círculos fazem parte do programa e são propostos para que as escolas realizem a cada 15 dias. O professor, ou facilitador, faz uma pergunta e dá a oportunidade para que cada participante fale de si. “É um espaço seguro, de confidencialidade, em que aprendemos com as histórias dos outros. E isso se torna um espaço de fala e escuta, onde todos têm voz. Quem está ali pode fazer uso da palavra ou não, mas todos entendem que têm seu momento de fala e que essa fala contribui para o grupo, pois um aprende com a história do outro”, explicou.

Cordeiro complementou que os Círculos de Construção de Paz oferecidos nessa segunda-feira (13) foram diferenciados por envolverem pessoas de várias idades e formações. “Temos alunos de faculdades, escolas e colégios, professores, pais e familiares. E propusemos para eles contarem como foi chegar até aqui, seja para representar alguém, ouvir a mensagem da aluna Mariany que foi bem impactante, ou como foi a experiência de escrever ou desenhar algo sobre a paz”, disse.

Foto: Vivian Honorato/PML

O Programa VIDA – Valores, Inclusão, Desenvolvimento Humano e Afetividade, trabalha questões do dia a dia e aspectos socioemocionais, utilizando técnicas da Justiça Restaurativa. Alunos, professores e demais profissionais da rede municipal podem participar. “As temáticas propostas para os alunos envolvem as emoções. A pergunta clássica é ‘como você está se sentindo?’, ensinando a abordar suas emoções e como parar e ouvir. Alegria, tristeza, ansiedade e raiva são alguns sentimentos que eles têm, e é preciso saber como lidar com isso. O objetivo é ensinar as crianças a conversar e estabelecer relações, e como isso melhora a vida de todas as pessoas”, concluiu a professora.

Entre as autoridades que compareceram na abertura, estavam também a vereador Sônia Gimenez e o sargento Paulo Rodrigo Gazzola Monteiro, do 5° Batalhão da Polícia Militar.

Programação – A 6° Semana Municipal de Justiça Restaurativa prossegue até o dia 24 de novembro, e a agenda completa foi publicada no site do Londrina Pazeando.

Na terça-feira (14), o Compaz e o Londrina Pazeando participam do Rolê da Justiça – Região Leste. Às 9h15 e às 13h45, haverá o Abraço pela Cultura de Paz, e toda comunidade presente está convidada a participar e aderir. O Rolê da Justiça será realizado das 9h às 16h, na sede da Epesmel, localizada na Rua Angelina Vicci Vezozzo, 85.

No feriado de quarta-feira (15), haverá a Caminhada pela Paz na Trilha do Tatu, no Parque Municipal Arthur Thomas. A atividade tem apoio da Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA), e começa às 15h30, com concentração em frente ao Centro de Educação Ambiental. O Parque Arthur Thomas fica na Rua da Natureza, 155.

E estão abertas as inscrições para a palestra “Justiça Restaurativa e ensino superior: articulações possíveis”, conduzida pela doutora Cíntia Helena dos Santos. Essa atividade será realizada na sexta-feira (17), às 19h, no auditório da Universidade Positivo Londrina (Rua Prefeito Faria Lima, 400). Para participar, é necessário preencher o formulário eletrônico.

da assessoria