Sábado, 13 de Julho de 2024

Desafio da Rota das Catedrais acontece neste sábado (20) e reúne 1,5 mil ciclistas

2023-05-19 às 13:12

Neste sábado (20), a partir das 7h, 1.500 ciclistas participarão do Desafio Rota das Catedrais 2023, que tem como ponto de largada a Catedral Metropolitana de Londrina, localizada na Travessa Padre Eugênio Herter, 33, no Centro da cidade. A aventura terá 120 km de pedalada entre os municípios de Londrina e Maringá. A estimativa é que os atletas levem cerca de 10 horas para completar o percurso.

No ponto de largada, os membros do Tiro de Guerra hastearão a bandeira e cantarão o hino nacional. Junto deles estarão os guardas municipais de Londrina e agentes municipais de trânsito da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). A concentração dos atletas começará às 6h. A retirada dos kits dos participantes já aconteceu ontem em Maringá e hoje (19), até às 18h, prossegue em Londrina, na loja Balaroti, que fica na avenida Tiradentes, 1.919.

Os organizadores também recomendam que os participantes utilizem durante todo o percurso o capacete e roupas adequadas, além de estar com um documento de identidade ou a pulseira de identificação, e a placa de identificação do desafio. Além disso, outra recomendação importante é quanto ao uso de óculos, protetor solar, uma mochila com alimento e água, visto que o trajeto leva horas para ser concluído.

Entre os ciclistas inscritos, há paranaenses, paulistas, mato-grossenses, catarinenses, cariocas e de outros estados. Neste ano, houve um aumento no número de participantes, visto que 1.500 se inscreveram e no ano anterior foram 1.250. Segundo um dos organizadores do desafio, Peterson Oliveira, foi uma surpresa ver que a cada ano mais e mais atletas e amantes do ciclismo se interessam pelo desafio.

Dos 120 km percorridos, os participantes vão pedalar 90 km pelas estradas rurais e 30 km pelas vias urbanas. Eles passarão por locais históricos da colonização do norte do Paraná e por oito igrejas e capelas construídas por imigrantes, situadas entre as catedrais de Londrina e de Maringá. Para a proteção e auxílio aos atletas, os organizadores colocarão à disposição equipes de suporte com mecânicos e carros.

Em Maringá, ponto de chegada, eles serão recepcionados com uma arena onde terão profissionais de fisioterapia e enfermagem, que ajudarão na recuperação física dos participantes. No local, também terá um espaço gastronômico com lanches e bebidas. A tenda estará aberta à comunidade das 11h às 17h30 e haverá um espaço para as crianças e um palco de shows, onde ocorrerá a premiação e a entrega das medalhas.

Essa é a 5ª edição do evento, que pretende impulsionar as atividades turísticas, de lazer e de prática esportiva por meio do ciclismo, com ênfase no fortalecimento da regionalização do turismo norte paranaense. “É uma alegriE  recebermos a Rota das Catedrais, que é um evento que está no calendário oficial do município. Essa aventura ajuda a fomentar o turismo e movimenta a nossa economia, porque vem ciclista de outros municípios e estados e eles utilizam a rede hoteleira daqui, consomem nas lojas, restaurantes e bares e usam o transporte daqui, então é uma atividade que vai além do desafio ciclístico e que leva o nome de Londrina para outros lugares”, acredita a diretora de Turismo do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberta Zulin.

Sobre o percurso – Nos 120 km de pedalada, os ciclistas passam por igrejas localizadas entre Londrina e Maringá. Profissionais da Guarda Municipal de Londrina (GM) e da Policia Militar do Paraná (PM)  acompanham os participantes da largada até o Centro de Eventos de Londrina. Dali em diante, os participantes percorrem as vias do entorno do condomínio Sun Lake Residence, com destino ao patrimônio de Caramuru, e seguem passando por Rolândia, Arapongas, Astorga até chegar em Maringá.

Saindo da Catedral de Londrina, a primeira igrejinha avistada é a Nossa Senhora de Lourdes, localizada na Colônia Lorena, em Cambé, construída há mais de 55 anos. A segunda é a Capela Santo Antônio (que foi construída em madeira em 1955, no patrimônio Caramuru, que faz divisa entre Cambé e Rolândia). A terceira é a Capela São João Batista, considerada uma das mais belas da Rota, e uma réplica de madeira da primeira igreja matriz de Arapongas. Ela foi construída em 1938 e está localizada na comunidade do Campinho, em Arapongas, na estrada para Sabáudia.

A quarta capela é a Nossa Senhora do Monte Carmo, situada no quilômetro 21 da Estrada do Bom Progresso, em Sabáudia. Ela é a primeira capela da descida de paralelepípedos da roda. Foi construída em 1973 e, há alguns anos, passou por uma reforma em que foi construída uma torre, trocado o forro e feita a pintura. A quinta igreja é a Santa Luzia, na Vila Vitória em Sabáudia, e a sexta é a capela Santo Antônio, situada na Vila Progresso, no mesmo município. A Igreja Presbiteriana Pau d’Alho será a sétima igrejinha do caminho e a oitava capela é a Sagrada Família. O percurso termina com a chegada à Catedral Metropolitana de Maringá, chamada Catedral Metropolitana Basílica Menor Nossa Senhora da Glória.

A estruturação, a gestão e a promoção dos atrativos turísticos contidos no Roteiro Turístico Desafio Rotas das Catedrais recebem apoio da Prefeitura de Londrina, por meio da Codel, da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização de Londrina (CMTU) – que faz a organização do trânsito em torno da Catedral de Londrina – e da Guarda Municipal de Londrina (GM), que ajuda os ‘batedores’ da Polícia Militar. A Rota das Catedrais é um evento promovido desde 2017, mas devido à pandemia as edições de 2020 e 2021 não foram realizadas. Em 6 de junho de 2022, a Rota das Catedrais foi incluída no Calendário Oficial de Eventos do Município de Londrina (Lei Municipal nº 13.412). Os participantes que tiverem alguma dúvida podem acessar mais informações no site oficial do evento: www.rotacatedrais.com.br.

da assessoria