Educação de Londrina faz seleção de organizações para projetos esportivos, culturais e pedagógicos | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Segunda-feira, 04 de Março de 2024

Educação de Londrina faz seleção de organizações para projetos esportivos, culturais e pedagógicos

2023-11-22 às 09:23
Foto: Emerson Dias / N.Com

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), está com processo de seleção aberto para Organizações da Sociedade Civil (OSCs) interessadas em enviar propostas de projetos esportivos, culturais e pedagógicos a serem desenvolvidos, em 2024, na educação básica da rede municipal de ensino. A seleção é norteada pelo Chamamento Público nº 10/2023, publicado no dia 10 de novembro, e o período de encaminhamento dos planos vai até o dia 10 de dezembro deste ano. Todos os detalhes estão disponíveis na edição nº 5.042 do Jornal Oficial do Município, trazendo as condições de participação, descrições de cada linha de projeto, quadro de valores, critérios de análise e demais anexos.

Foto: Emerson Dias/ NCom

As OSCs que forem aprovadas, cumprindo todas as exigências do edital, terão a oportunidade de celebrar Termo de Colaboração com a SME, podendo colaborar com a administração para desenvolver novos projetos de iniciação em um total de nove áreas: xadrez, badminton, handebol, ginástica rítmica, esportes de aventura, capoeira, ballet, teatro e psicomotricidade. Essas atividades serão ofertadas em contraturno escolar, como já ocorre com os outros projetos em desenvolvimento pelo mesmo programa.

Caso todas as modalidades sejam preenchidas, a Secretaria Municipal de Educação poderá alcançar, em 2024, até 19 segmentos de trabalho realizados, paralelamente. Isso porque, em 2023, foram firmados 10 termos de parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e as OSCs selecionadas, alcançando todas as 88 escolas municipais da rede, inclusive as rurais, totalizando 4.600 atendimentos. Tais projetos continuarão todos sendo executados no próximo ano. Grande parte destes já chegaram a ser ampliados, recebendo aditivos de fomento para renovarem o convênio até 2024. As iniciativas contempladas no ano passado foram no ensino de judô, karatê, taekwondo, futsal, basquete, atletismo, dança, circo, musicalização e canto coral.

Para a atual seleção, que terá projetos executados de janeiro até dezembro de 2024, a Prefeitura de Londrina investirá inicialmente R$ 1.294.000,00 para atender, com este chamamento, um total de 2.700 alunos. As crianças são da educação básica, desde a educação infantil até o ensino fundamental, majoritariamente na faixa do 1º ao 5º ano. A projeção é que 300 estudantes possam participar das aulas em cada modalidade, caso todas sejam preenchidas.

Os CMEIs de Londrina também serão atendidos, em 2024, por diferentes modalidades. Foto: Emerson Dias / N.Com

Nesse contexto, a expectativa da SME é de atender mais de 9 mil alunos em 2024, com investimento estimado em cerca de R$ 4 milhões, levando em conta os recursos disponibilizados pelo edital aberto e também as ampliações programadas para o próximo exercício. Os recursos aplicados são próprios da Educação, que ainda faz a gestão da capacidade operacional junto aos professores e coordenadores, e também administra a parte financeira, incluindo a prestação de contas, habilitação de educadores, certidões e trâmites técnicos pertinentes.

Esta iniciativa dos projetos esportivos, culturais e pedagógicos vem sendo ampliada pela Educação. Em 2022, por exemplo, foram realizados cinco projetos esportivos e culturais de forma experimental, nas modalidades do judô, canto coral, teatro, circo e dança, atendendo aproximadamente 1.970 alunos em 31 escolas municipais. Uma novidade para 2024 é que, além de todas as 88 escolas municipais, a SME planeja levar até cinco modalidades aos 33 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), unidades que ainda não foram contempladas até o momento. A definição dependerá dos resultados do chamamento público aberto.

Na avaliação da secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal, este conjunto de trabalhos integrados têm feito a diferença na vida dos alunos atendidos pelas escolas municipais. “Com as iniciativas, englobando diferentes áreas, estamos conseguindo ofertar acesso gratuito a ações extraclasse, permitindo o contato com artes, cultura e esportes. Os projetos são de grande qualidade, muito bem estruturados, e envolvem aprendizados sadios, convivência e valorização do ambiente escolar. Se as famílias fossem pagar, para um só filho, aulas nessas modalidades, investiriam algo em torno de 150 e 200 reais por mês, em média. E, com estes projetos, isso tudo é de graça, na própria escola que eles já frequentam e podendo usufruir de tempo de qualidade. É sensacional. A expectativa é levar mais modalidades para todas as unidades escolares da rede municipal, ampliando a oferta”, analisou.

Foto: Divulgação

O professor e coordenador dos projetos esportivos e culturais Alexandre Segantin, integrante do apoio técnico especializado da SME, frisou que o envolvimento e retorno vindo de toda a comunidade escolar tem sido altamente satisfatórios, fortalecendo o corpo de ações do programa. “Realizamos, no segundo semestre deste ano, uma pesquisa de satisfação sobre os trabalhos feitos na primeira parte de 2023, e o resultado foi fantástico. Cerca de 95% das respostas fornecidas tiveram indicadores de avaliação entre “excelente” ou “bom”, quanto à qualidade dos serviços prestados com as crianças, acolhimento com professores, assiduidade, comprometimento, organização de materiais, comunicação com a comunidade escolar, entres outros pontos”, afirmou

Quem respondeu o questionário foram os diretores das escolas municipais, juntamente com o conselho escolar. “Teremos uma nova pesquisa agora em dezembro para levantar a análise referente aos trabalhos de todo este ano”, adiantou Segantin.

O educador acredita que, mais importante que os resultados apontados pelas unidades de ensino, é notar claramente como as crianças estão felizes praticando esportes e participando. “Além de ser muito benéfico para os alunos, os pais estão gostando bastante e aprovando as ações. No começo dos projetos, algumas escolas estavam preocupadas sobre como seria o desenvolvimento das aulas, mas a aceitação de todos vem sendo incrível com o andamento das atividades”, concluiu.

Foto: Emerson Dias / N.Com

Mais sobre a iniciativa – Os projetos esportivos, culturais e pedagógicos integram a parte diversificada do currículo escolar, conforme previsto no artigo 26 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9394/1996, e são ofertados em contraturno escolar, aumentando o tempo de permanência do estudante na escola. Tais trabalhos oportunizam o convívio social entre os participantes, por meio dos ensinamentos em cada modalidade, sua referência histórica e cultural, vivências físicas e técnicas, bem como valores e princípios educacionais desenvolvidos pela prática do esporte social.

Como são projetos de contato primário em vivência no esporte, as atividades não buscam incentivar a hipercompetitividade, mas oportunizar aprendizado, sociabilização e desenvolvimento em prol da formação integral dos estudantes. As modalidades esportivas estão previstas na Diretriz Curricular Municipal, na unidade temática Esportes.

Os projetos culturais, por sua vez, são desenvolvidos por meio de uma prática arte-educativa na qual a criatividade, a imaginação e a fantasia serão estimuladas como elementos educativos e socializadores, propiciando a experiência estética e o processo criativo por parte dos estudantes.

da assessoria