Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Hospital Vida inaugura novo ambulatório em Londrina e comemora Título de Utilidade Pública

2023-05-12 às 14:02

Na manhã desta sexta-feira (12), o prefeito Marcelo Belinati participou da inauguração do novo ambulatório do Hospital VIDA, chamado Ânima, juntamente ao diretor do Hospital VIDA, Felipe Urbanski, oportunidade em que foi anunciado o recebimento do Título de Utilidade Pública. Essa instituição é considerada a maior unidade dedicada ao atendimento de saúde mental do Estado do Paraná. Ele fica na Rua Castro Alves, 747, Jardim Shangri-la.

O hospital especializado em saúde mental é uma instituição sem fins lucrativos, mantido pela Associação de Amigos, Familiares e Doentes Mentais de Londrina (AFDM). Em abril deste ano, ele recebeu o Título de Utilidade Pública, concedido pela Assembleia Legislativa do Paraná e, com isso, a partir de agora torna-se mais fácil a destinação de recursos públicos em favor dos pacientes.

Durante a solenidade, o prefeito Marcelo Belinati ressaltou a magnitude do hospital no Estado do Paraná e a complexidade dos trabalhos na área da saúde mental. “Eu me lembro que, na pandemia, o pessoal falava muito do número de leitos daqui do Hospital Vida, que é um dos maiores hospitais do Paraná. Ele tem mais leitos que o HU de Londrina e são somente para o atendimento de saúde mental. Então, ele atende Londrina, a região norte do Paraná e até outras regiões do Brasil”, disse.

“Existe uma grande dificuldade nessa área, porque é algo muito especializado e há um preconceito muito grande. Antes, as pessoas tinham medo de ir no psiquiatra e no psicólogo. Mas, hoje, está acabando isso, porque as pessoas perceberam que depressão é uma doença que precisa ser tratada para buscar a saúde mental. Os métodos, as metodologias, as tecnologias e os conhecimentos têm ajudado muito no tratamento e também a diminuir o preconceito”, reforçou Marcelo Belinati.

Nessa instituição são 226 leitos disponíveis para a internação psiquiátrica, sendo em sua maioria conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital atende adultos de ambos os sexos e adolescentes do sexo feminino, que precisam de tratamento para transtornos mentais e dependência química. Somente em 2022, 1.324 pacientes foram atendidos no Hospital Vida.

O diretor do Hospital Vida, Felipe Urbanski, explicou que somando os dois hospitais, o Vida e o Nova Vida, são 291 leitos predominantemente para atendimento SUS. A nível de comparação, o Hospital Evangélico tem 320 leitos e a Santa Casa de Londrina 200. “Depois da pandemia, nós precisamos cada vez mais falar sobre saúde mental e aqui é o local para falarmos disso e onde melhor podemos tratar a saúde mental. Hoje, além dos 291 leitos, nos últimos quatro anos, nós avançamos no braço educacional. Temos o programa de formação em psiquiatria que conta com 23 residentes em formação em psiquiatria e, no ultimo ano, fomos aprovados pelo MEC com as bolsas e o programa de residência médica credenciado pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação. Isso só reforça nosso papel importante na saúde mental de Londrina, do Paraná e nacional, demonstrando o que nós fazemos de melhor, que é tratar as pessoas”, afirmou Urbanski.

Para dependentes químicos do sexo masculino o hospital disponibiliza 65 leitos, 100% atendimentos pelo SUS, sendo que em 2022 foram 562 pacientes atendidos. No novo ambulatório é possível ofertar em média 1000 consultas mensais à população. Essa ala é considerada o braço assistencial do Hospital Vida. O foco dessa instituição de saúde é no atendimento às pessoas com vulnerabilidade mental e dependência química, por isso todos os trabalhos são realizados de forma beneficente.

O assessor parlamentar prof. Willian Caetano, explicou que o deputado estadual Tercílio Turini foi o proponente do projeto de lei nº 65/2023, que se tornou a Lei Estadual nº 21.422, em 18 de abril de 2023. “Nós pedimos a tramitação do projeto de lei em regime preferência, e aqui na Assembleia Legislativa ele [Tercílio Turini] fez tramitar muito rápido, sabendo da importância de ter um documento, não só do projeto de lei, mas também para a captação de recursos, credenciamento de editais e principalmente é o poder público estadual reconhecendo a importância que tem o Hospital Vida”, disse.

da assessoria