Marcio Pauliki assume cargo de CEO da MM para alçar o top 10 do varejo nacional | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Segunda-feira, 04 de Março de 2024

Marcio Pauliki assume cargo de CEO da MM para alçar o top 10 do varejo nacional

2023-03-15 às 14:10

A varejista paranaense Lojas MM anuncia Marcio Pauliki como CEO, para que, junto aos colaboradores, alcance metas audaciosas para os próximos cinco anos, quando a empresa completa 50 anos

“Eu respiro a MM por toda a minha vida profissional”. É dessa forma que Marcio Pauliki resume sua carreira, ao assumir o cargo de CEO da Lojas MM. Quando seu pai, Jeroslau Pauliki, em 1978, fundou a empresa, Marcio tinha apenas seis anos. Desde então, ele cresceu imerso no universo varejista e, aos 15 anos, começou a trabalhar como office boy na rede de lojas. Com dedicação e comprometimento, percorreu uma longa trajetória na empresa, ocupando por 15 anos a cadeira da superintendência e da vice-presidência comercial do grupo, até alcançar a posição de diretor geral – o topo da hierarquia empresarial.

O cargo de CEO de Pauliki vem em meio às comemorações de 45 anos da Lojas MM, isso soma-se a um ideal da empresa: crescer sem perder suas raízes. O administrador planeja implementar estratégias inovadoras e aproveitar as oportunidades para que, quando a MM chegar a cinco décadas de história, em 2028, esteja consolidada entre os 10 maiores canais de venda do país e consiga triplicar seu faturamento, para buscar a relevância no mercado nacional, chegando a R$ 3 bilhões de receitas totais. “Mesmo buscando um faturamento expressivo, nosso foco sempre será a geração de caixa e a rentabilização do negócio, isso é fundamental para a perpetuidade de qualquer negócio”, reforça.

O jovem que, aos 18 anos, almejava ser motorista de caminhão da empresa, formou-se em Administração pela UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa), se especializou em marketing em Londres (Inglaterra), em administração em Berkeley (Califórnia) e em gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas, foi um dos responsáveis por colocar em prática o primeiro planejamento estratégico da varejista, nos anos 2000. Planejamento esse que foi essencial para que a MM chegasse onde está hoje, mas sem perder a simplicidade, que o CEO tanto reforça ao falar desse novo ciclo de desafios.

Em entrevista, Marcio Pauliki revela os desafios do cargo de CEO, indica quais são as metas futuras da MM e reforça o compromisso social e econômico da varejista.

Quais as principais mudanças ao assumir o cargo de CEO?

Sempre estive muito focado na execução das diretrizes, desde a criação do planejamento estratégico. Acredito que essa função de CEO complementa esse trabalho de gestão e execução, além é claro de definir a visão estratégica e cultura organizacional da empresa para os próximos anos. Nos últimos meses, temos vistos várias situações de empresas que perderam a mão, justamente porque seus líderes não estavam no dia a dia da execução. Por isso, sempre digo que “melhor do que ouvir mil vezes, é ir ver uma vez”, ou seja, estar no cotidiano da empresa, visitando suas equipes, estando próximo de todo seu grupo gestor é de extrema importância. Mas isso não é uma tarefa fácil, pois se você busca ser um líder ambidestro, precisa equilibrar iniciativas de inovação de negócios e estratégia, mas, ao mesmo tempo, estar na execução do planejado, é unir o líder criativo e o estrategista. Essa é uma mudança importante, que já exercemos no nosso dia a dia.

Na sua visão, quais seriam as principais características desta função?

O CEO é o responsável por liderar uma organização e tomar decisões importantes para garantir o sucesso de médio e longo prazo. Para tomar essas decisões estratégicas, a principal característica do CEO é estar antenado nas tendências de mercado e entender o jogo do varejo, isso não vem apenas da informação que você busca, mas da experiência adquirida de mercado, afinal de contas, o varejo está numa revolução silenciosa e numa transformação radical muito grande.

É claro que, algumas características são essenciais para um CEO, como: tomada de decisão rápida e gerenciamento de recursos, não apenas de orçamentos financeiros, mas de recursos humanos. É preciso liderar a equipe e garantir que todos trabalhem com equidade de cultura e estejam direcionados para o mesmo objetivo. Além disso, é necessário ter uma visão abrangente de mercado e implantar as últimas tecnologias e metodologia para que a empresa continue competitiva. E, não podemos esquecer a comunicação eficaz, você precisa comunicar com clareza e precisão para que a equipe entenda os objetivos e as metas, continuando motivada e engajada. Na verdade, em nosso dia a dia profissional e até pessoal, precisamos colocar em prática os 3R’s, isto é, rotina, ritmo e ritual.

Poderia destacar algumas metas que busca atingir neste novo ciclo de crescimento do Grupo MM?

Nosso maior objetivo é estar entre os 10 maiores canais de venda do Brasil, mas sem perder três grandes características que faz ser o que somos. A primeira é a simplicidade – na forma de conduzir a empresa, na forma de nos relacionar com todos, não só apenas com o mercado, mas também entre nós e os colaboradores. A segunda é não perder o ritmo de nosso planejamento estratégico muito bem executado, que hoje é referência no mercado. E, o terceiro, é aumentar o sentimento de pertencimento dos nossos colaboradores, que têm o direito de saber de onde viemos, onde estamos e para onde vamos.

No ano passado, você declarou que ficaria de fora da vida pública para se dedicar somente a empresa, o cargo de CEO vem para reafirmar esse compromisso?

Sim, com toda a certeza, pois temos esse novo ciclo de crescimento planejado, até 2028, e esses desafios, com a nossa equipe, demanda tempo integral e muita dedicação. Nunca me vi apenas como empreendedor privado, afinal de contas, mesmo sabendo do quanto uma empresa pode contribuir com a sociedade através da geração de impostos, emprego e renda, vejo que podemos muito mais.

Já tive a oportunidade de exercer o empreendedorismo associativista, através da presidência da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e da ACIPG (Associação Comercial e Empresarial de Ponta Grossa); o empreendedorismo social com a criação e manutenção do Instituto Mundo Melhor, que capacita milhares de jovens todos os anos; e ainda tive a oportunidade de exercer o empreendedorismo político, pois acredito que a política, quando bem exercida, é uma forma extremamente eficaz em transformar desenvolvimento econômico em progresso social para a sociedade como um todo. Essas experiências foram e são muito importantes para somar ao meu aprendizado como profissional e cidadão, e assim poder enfrentar esse novo desafio de liderar uma das maiores redes de varejo do país.

Aliás, você já esteve do outro lado, ou seja, atuando no poder público, essa vivência já fez ou fará ainda mais diferença para comandar o Grupo MM?

As pessoas reconhecem a MM como uma empresa de grande responsabilidade social, não apenas na geração de empregos, renda e impostos, mas muito pelo que ela tem feito através do seu trabalho social. Quando tive a oportunidade de exercer a função pública, conheci ainda mais algo que, infelizmente, é um problema sistêmico e urgente: a desigualdade social. Entendo que as empresas tem um papel fundamental na redução dessa desigualdade social, a frase “não existe uma empresa de sucesso numa sociedade de insucessos”, ilustra essa visão sobre o papel da iniciativa privada na sociedade.

A MM atingiu uma grande meta estabelecida para seus 45 anos, chegando a R$ 1 bi de faturamento. Qual foi o sentimento dessa conquista. E, agora, o objetivo é aumentar esse número?

O fato de termos atingido essa grande meta no final do ano passado, foi algo comemorado por toda a equipe de uma forma coletiva e muito bonita, porque mostrou mais uma vez o sentimento de pertencimento de todos. O mais interessante é que a gente comemora uma meta, lançando outra (risos), visando o aniversário de 50 anos da empresa. Algo que está enraizado na nossa cultura é que somos otimistas, mas sempre saímos de casa com o guarda-chuva na mão. Isso é uma forma de dizer que atuamos de forma muito responsável, muito planejada. Para nós é fundamental estarmos com os colaboradores, a gente diz estar no chão da loja, ouvindo todos para enfrentar os desafios e alcançar novas metas de forma contínua. Como já mencionei, alcançar metas de venda nos deixa felizes, mas alcançar as metas de conquistas de novos clientes, o que chamamos internamente de ‘estrelas’, e de rentabilização do negócio, que internamente é mais conhecida como ‘vaca leiteira’ (rs), nos deixa realizados.

Agora, no cargo de CEO, quais os principais desafios que enfrentará?

Uma empresa do varejo, como a MM, muitas vezes é reconhecida pelo número de lojas físicas que possui, mas hoje isso é apenas um detalhe. O desafio atual é a multicanalidade, também conhecida como o omnichannel, que veio para ficar. Então essa adaptação, esse novo mercado, sem perder o foco no interior, mas com a capacidade de poder atuar nos grandes centros, talvez seja o nosso grande desafio. O nosso segredo é avançar fronteiras, sem esquecer as nossas raízes.

Quais os planos para o futuro da MM?

Queremos estar entre os 10 maiores canais de venda do país até 2028, quando completarmos 50 anos, mantendo-se querida pelos consumidores e sendo uma das melhores empresas para trabalhar no país. Isso é um grande desafio, especialmente, em um mercado em constante evolução e com muitas incertezas econômicas. Acredito que as empresas têm um papel importante no desenvolvimento do país, não apenas no âmbito econômico, mas também social, e a MM tem desempenhado muito bem esse papel e, nos próximos anos, vai fazer ainda mais. Contem com a MM como uma empresa que realmente faz a diferença na comunidade.

Gostaria de agradecer ou destacar algo sobre esse novo ciclo?

Quero agradecer a todos que sempre acreditaram em mim, desde que eu era um menino entregando os rolos de fita nas rádios, até agora que estamos começando um novo ciclo de crescimento na empresa. Agradeço especialmente à minha família, que trabalha incansavelmente há décadas na MM, que foi iniciada pelo meu pai, que vendeu sua Brasília laranja para nos trazer até aqui.

Gostaria de agradecer minha esposa e filhas pela compreensão em relação aos meus compromissos na gestão, assim como a todos os colaboradores pelo empenho e trabalho. Agradeço também aos clientes, amigos e todos aqueles que acompanharam o crescimento da empresa e acreditaram em nós. Vamos seguir juntos nessa jornada em prol de um mundo melhor, com união de forças e divisão de tarefas. Muito obrigado!

da assessoria