Domingo, 21 de Julho de 2024

“Com o novo pedágio, estamos assistindo um pesadelo”, afirma deputado Luiz Claudio Romanelli

2024-04-02 às 08:41
Foto: Divulgação/Assessoria Parlamentar

“Diferente da promessa das autoridades e de manifestações de porta-vozes do setor produtivo, a modelagem da concessão de rodovias do Paraná não virou o ‘estado da arte’. Com o novo pedágio, estamos assistindo um pesadelo”, afirmou o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) nesta segunda-feira, 1º de abril, em sessão legislativa.

Romanelli cobrou soluções para os graves problemas enfrentados por motoristas desde o início da nova concessão. A situação mais crítica, citou ele, são as longas filas na praça de cobrança de São Luiz do Purunã, por onde passa o fluxo do interior para a capital e também no sentido inverso. “Foram registrados mais de 10 quilômetros de filas e horas de espera”, apontou.

O deputado reforçou que está em contato permanente com o diretor-presidente da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Rafael Vitali, e pedindo providências para que seja cumprida a obrigação contratual da liberação de cancelas em caso se 200 metros de fila (em dias úteis) e 400 metros (em feriados). “As cancelas até são abertas, mas por 15 minutos, o que não é suficiente”, considerou.

Urgência

Na avaliação do deputado, a estrutura da praça precisa ser ampliada com urgência, com mais cabines. Ele também observou que há outro problema a ser solucionado. “Há bastante tempo estamos alertando e advertindo as autoridades que formularam o novo pedágio que o fluxo de veículos nas rodovias paranaenses é pelo menos o dobro do volume apurado em 2019. Pedimos, várias vezes, a recontagem do fluxo”, afirmou.

Outra situação relatada por Romanelli é a falta de melhorias nas estradas antes da cobrança do pedágio. “Enganaram os paranaenses falando que haveria uma grande restauração das rodovias antes do início da cobrança das tarifas. Agora, vimos que as concessionárias ganharam um bônus de um ano para fazer a conservação dos trechos”, sustentou Romanelli.

Além da situação dos lotes 1 e 2, que se iniciaram em 23 de março, o deputado também alertou para os próximos leilões que vão acontecer até o final deste ano. Para ele, há uma sinalização clara de que os preços do pedágio nos lotes 3 e 6 ficarão muito acima do que foi divulgado. Romanelli disse que a Assembleia Legislativa precisa acompanhar a situação. “Ou nós agimos, ou teremos 30 anos de aborrecimentos”.

da Alep