Sábado, 13 de Julho de 2024

Ex-policial penal acusado de matar ex-tesoureiro do PT vai a júri popular na quinta-feira (4)

2024-04-01 às 09:36
Fotos: Reprodução

O caso da morte de Marcelo Arruda entra em um dos capítulos finais: o ex-agente penitenciário Jorge Guaranho vai a júri popular na próxima quinta-feira (4), em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

Anteriormente marcado para 7 de dezembro de 2023, o julgamento de Jorge Guaranho foi remarcado, a menos de dez dias antes de ocorrer.

O que aconteceu entre Marcelo Arruda e Jorge Guaranho?

O guarda municipal Marcelo Arruda morreu no dia 9 de julho de 2022, enquanto comemorava o próprio aniversário em um clube da cidade de Foz do Iguaçu. A festa comemorava os 50 anos de Arruda e tinha como tema o Partido dos Trabalhadores e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, à época candidato à presidência. Marcelo, além de trabalhar na segurança pública, era tesoureiro municipal do partido e foi candidato ao cargo de vice-prefeito de Foz do Iguaçu nas eleições de 2020.

Em determinado momento, Jorge Guaranho apareceu na festa e começou a ofender os presentes, causando um princípio de confusão. Em um primeiro momento ele foi embora e Marcelo Arruda foi até o carro pegar uma arma. Posteriormente, Guaranho retornou ao local da festa e atirou contra Marcelo, que também revidou, mas acabou morrendo.

O que aconteceu com Jorge Guaranho?

O agente penitenciário foi preso e segue detido no Complexo Médico Penal do Paraná, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou Jorge Guaranho por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e perigo comum. Ele irá a júri popular na próxima quinta-feira (4), em Foz do Iguaçu. Jorge Guaranho foi demitido do cargo de agente penitenciário no último dia 19 de março. O ato foi assinado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Ricardo Lewandowski. Em nota oficial, o ministério disse que a demissão aconteceu após conclusão de processo administrativo, que investigou práticas de improbidade administrativa e incontinência pública.

Leia a matéria completa da Ric