Segunda-feira, 22 de Abril de 2024

Itaipu participa de Jornada Latino-Americana e Caribenha de Integração dos Povos

2024-02-24 às 12:31
Foto: Marcos Labanca/Itaipu Binacional

O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Enio Verri, participou nesta sexta-feira (23), em Foz do Iguaçu (PR), do Ato Político com Autoridades de Governos e Dirigentes das Organizações Populares, que marcou o encerramento da Jornada Latino-Americana e Caribenha de Integração dos Povos.

Também estiveram presentes o ex-presidente uruguaio José Pepe Mujica, a vice-presidente da Colômbia, Francia Márquez, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência do Brasil, Márcio Costa Macêdo, e a ministra da Presidência do Estado Plurinacional da Bolívia, Maria Nela Prada, entre outras autoridades.

Organizada por diversas organizações, entre elas a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), a Jornada foi realizada de 22 a 24 de fevereiro, no Centro de Convenções de Foz do Iguaçu, com o objetivo de reunir organizações sociais, sindicatos, movimentos estudantis e lideranças partidárias para debater os desafios e uma agenda de desenvolvimento comum para a região. Ao todo, participaram do encontro mais de 4 mil pessoas de 20 países.

Segundo Enio Verri, Itaipu esteve presente porque é um modelo de trabalho conjunto entre países a ser seguido na América Latina. “A nossa parceria com o Paraguai é um belo exemplo de integração. Uma integração ampliada, com outros países, pode mudar a realidade da América Latina e Caribe”, explicou. Para ele, é preciso que os países construam projetos sociais e econômicos em conjunto. “Isso dá mais condições de competição e de inserir o continente na realidade internacional com muito mais força para atrair mais investimentos para a região.”

O ministro Márcio Macêdo lembrou que o mundo hoje registra mais de 20 conflitos armados e um terço da humanidade vive sob regimes com restrições democráticas. É nesse contexto que discussões sobre a integração ganham força. “Hoje é um dia histórico e o mundo vai olhar para Foz do Iguaçu e dizer que os movimentos organizados estão dispostos a defender a democracia”, salientou.

Já a vice-presidente da Colômbia, Francia Márquez, defendeu que a agenda da integração incorpore lutas como o combate ao racismo estrutural, a superação da desigualdade e o fim da violência contra jovens e mulheres. “Esses mecanismos fazem parte de uma agenda transformadora.”

Principal atração do encontro, Pepe Mujica observou que o sonho da integração hoje é diferente daquele defendido pelos fundadores da independência na América, dois séculos atrás. “Agora estamos em outra época, estamos no meio da civilização do caos. Nunca a humanidade teve tanto, mas nunca teve tanto problema”, lamentou, citando como exemplos a fome, a desigualdade, guerras, a ameaça nuclear e a crise climática.

Mujica defendeu ainda a política como ferramenta de transformação e a abertura do diálogo com outros setores da sociedade para tornar a integração possível. Segundo ele, é necessário manter a unidade com diversidade. “Há que se entender que precisamos de aliados por todas as partes. Temos que alargar o campo. E isso significa multiplicidade.”

Também participaram do ato público os reitores da Unila, Diana Araujo Pereira, e da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Alexandre Almeida Webber; os deputados federais Gleisi Hoffmann, Carol Dartora e Zeca Dirceu; representantes sindicais, de movimentos sociais, estudantis, entre outras autoridades.

Mais cedo, acompanhado pelo diretor-geral brasileiro, Enio Verri, o ex-presidente Pepe Mujica fez uma visita à usina de Itaipu e participou de um encontro com a comunidade acadêmica da Unila, no Jardim Universitário, ao lado da vice-presidente da Colômbia.

Organização

A Jornada Latino-Americana e Caribenha de Integração dos Povos foi organizada pela ALBA Movimientos, Assembleia Internacional dos Povos (AIP), Confederação Sindical das Américas (CSA), Organização Continental Latino-americana e Caribenha de Estudantes (Oclae), Jornada Continental pela Democracia e Contra o Neoliberalismo, Unioeste e Unila.

da assessoria