Paraná cria novas pontes comerciais com empresas chinesas de tecnologia | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Paraná cria novas pontes comerciais com empresas chinesas de tecnologia

2023-09-10 às 13:40
Foto: Vice-Governadoria

A missão paranaense liderada pelo vice-governador Darci Piana chegou neste domingo (10) à metade da viagem internacional de seis dias de negócios na China. Durante o dia, a comitiva visitou diversos estandes da Feira Internacional de Investimentos e Comércio da China (CIFIT), na cidade de Xiamen, para conhecer as soluções tecnológicas mais modernas existentes para diversos segmentos do mercado.

O evento é conhecido por atrair líderes empresariais e autoridades governamentais de todo o mundo. Neste ano, Paraná conta com um espaço maior dentro do estande do Brasil, onde são exibidos materiais sobre os potenciais econômicos do Estado visando o fortalecimento de laços comerciais internacionais.

Segundo o vice-governador, a presença forte do Paraná no evento, somado à atuação da comitiva estadual, tem como objetivo fortalecer o potencial de atração de novos investimentos.

“A feira de Xiamen, reúne diversas empresas sérias e de sucesso do setor tecnológico e isso representa uma oportunidade de apreciarmos o que está sendo desenvolvido de mais moderno no mundo. Dessa maneira, podemos negociar com os empresários a possibilidade de instalação delas em nosso Estado, o que representa mais inovação e investimentos para o Paraná”, afirmou.

Para o secretário da Indústria, Comércio e Serviços, Ricardo Barros, que também compõe a comitiva do Estado, os diferenciais competitivos apresentados pelo Paraná na feira são determinantes para a atração de potenciais parceiros comerciais.

“Temos no estande do Brasil um vídeo do Paraná sendo passado em mandarim para que todas as pessoas que circulam pela feira possam compreender a força da nossa agroindústria, a infraestrutura de qualidade, e como o nosso Estado é uma referência em sustentabilidade e em educação no Brasil. São diferenciais que chamam a atenção de quem busca boa oportunidades de investimento”, defendeu.

Durante a circulação na feira, a delegação se concentrou em explorar setores estratégicos para o Estado, incluindo tecnologias aplicadas à segurança, indústria, agricultura, Internet das Coisas (IoT) e energias renováveis, com destaque para a produção de combustíveis de hidrogênio.

Na avaliação do diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, o balanço da missão até o momento é positiva. “No sábado tivemos rodadas de negociação com 10 empresas chinesas e neste domingo encaminhamos dois possíveis acordos, um com uma empresa que faz a blindagem de pneus, que não furam ou esvaziam, e outra com uma montadora de robôs para automatização da indústria. Em ambos os casos, elas demonstraram interesse em expandir a sua atuação para o Paraná”, revelou.

“Visitamos também uma empresa que produz fertilizantes naturais com algas marinha e que pode ser uma boa solução para a nossa agricultura”, acrescentou Bekin.

AGENDA – A delegação paranaense conclui nesta segunda-feira (11) a agenda de quatro dias de negócios na cidade portuária de Xiamen, localizada na costa sudeste da China, em que o Paraná buscou fortalecer a sua presença global. De lá, a equipe segue para a capital Pequim, no norte do país asiático, onde participa de mais dois dias de trabalho em encontros bilaterais com representantes governamentais e empresariais.

De acordo com o diretor de Relações Internacionais e Institucionais da Invest Paraná, Giancarlo Rocco, os acordos de cooperação bilaterais podem representar um salto tecnológico em diferentes frentes, beneficiando não apenas a iniciativa privada, mas o Estado como um todo. Essas oportunidades vão desde a cooperação técnica para a introdução de tecnologias inovadoras até a possibilidade de empresas chinesas estabelecerem operações no Paraná

“A China é uma referência na produção de tecnologias avançadas para equipamentos, inteligência artificial, agricultura e cidades inteligentes. São tecnologias que podemos levar para o Paraná ao demonstrar aos representantes chineses que querem expandir para a América do Sul a localização estratégica do nosso Estado, a boa infraestrutura logística, a segurança jurídica e os incentivos fiscais que oferecemos”, explicou.

da AEN