Domingo, 21 de Julho de 2024

Projeto ‘Amigos do Eco e do Refúgio em Ação’ promove educação ambiental e sustentabilidade

2024-03-27 às 19:22
Foto: Sara Cheida / Itaipu Binacional

A Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) lançaram nesta quarta-feira (27), no Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), em Foz do Iguaçu (PR), o projeto ‘Amigos do Eco e do Refúgio em Ação’. Com a iniciativa, centenas de crianças e adolescentes de quatro regiões da cidade terão a oportunidade de se envolver em atividades educativas voltadas para a preservação do meio ambiente.

O projeto surge como parte do Convênio de Educação Ambiental, Ciências e Sustentabilidade III, com o objetivo de aproximar os jovens das regiões da Vila C, Porto Meira, Morumbi e Três Lagoas das ações de preservação ambiental e sustentabilidade promovidas pela instituição. Por meio de uma abordagem lúdica e participativa, o projeto busca conscientizar e engajar os estudantes em temas como tecnologia, energia, meio ambiente, saúde, arte e cultura, todos embasados em metodologias ativas de aprendizagem.

Durante a cerimônia de abertura, que contou com a presença do diretor superintende do PTI, Irineu Colombo, e do diretor de Negócios e Empreendedorismo, Eduardo Miranda, além de uma das turmas de participantes, foi ressaltada a importância da iniciativa para o desenvolvimento sustentável e incentivo à cultura científica da região.

Irineu Colombo destacou em sua fala a importância da natureza para a humanidade, inclusive nas soluções desenvolvidas pelas mais diversas profissões. “Nós estamos em um momento em que precisamos revalorizar a ciência e a tecnologia junto com a questão da sustentabilidade. Por isso é de extrema importância que essa nova geração entre em contato com esse tema e se preparem, independente da profissão que escolherem para seguir, para esse olhar de respeito à natureza”, afirmou.

Segundo Josiane Amaral, uma das responsáveis pelo projeto por parte do PTI, o principal objetivo dessas ações é fazer com que os alunos tenham senso de pertencimento às atividades ligadas à Itaipu, além de entender um pouco mais sobre metodologia científica e proporcionar a reflexão de que todos podem ser pesquisadores. “A gente só cuida do que a gente conhece. Então essa é a nossa metodologia também. Não basta a gente só falar sobre a importância do meio ambiente e da sustentabilidade, a gente também precisa ter esse senso de pertencimento e mostrar isso na prática”, pontuou.

Na primeira oficina, denominada ‘Eu, Divulgador Científico’, realizada no Refúgio Biológico Bela Vista, as crianças acompanham de perto o horto de plantas medicinais, condimentares, aromáticas e alimentícias entendendo a importância do resgate cultural sobre o uso dessas plantas, além de conhecerem os diferentes tipos de plantas que existem.

Quem acompanha os alunos no horto e explica cada detalhe nessa imersão de conhecimento é o engenheiro agrônomo Lucas Mateus Hass, da Itaipu Binacional. “Aqui eles têm esse panorama geral para entender também a importância do uso dessas plantas na conservação da biodiversidade local. A gente tem um destaque hoje para as plantas alimentícias não convencionais, visando instigar as crianças a conhecerem algumas plantas diferentes e o seu potencial que também pode estar atrelado à alimentação” afirmou.

Além das oficinas temáticas, que serão realizadas ao longo do ano nas regiões de Três Lagoas, Vila C, Porto Meira e Morumbi, e nos espaços educadores do Refúgio Biológico Bela Vista e Ecomuseu, o projeto pretende aproximar os participantes da pesquisa científica. Estimulando sua participação na Feira de Inovação de Ciências e Engenharias (FIciencias), os jovens terão a oportunidade de apresentar suas ideias criativas e inovadoras relacionadas à ciência e tecnologia.

Para mais informações sobre o projeto ‘Amigos do Eco e do Refúgio em Ação’, os interessados podem entrar em contato pelo WhatsApp (45) 3576-7148.

da assessoria de imprensa do PTI