Sexta-feira, 12 de Abril de 2024

Projeto GGPEL: Trend do palavrão: vídeos deixam crianças confusas e exposição pode resultar em cyberbullying

2024-02-21 às 14:20
Foto: Divulgação/Freepik

De repente, você está nas redes sociais e se depara com vídeos de crianças na frente do espelho falando uma série de palavrões. Isso está acontecendo com mais frequência desde que a “trend do palavrão” se tornou popular entre as famílias. Em geral, meninas ou meninos estão no banheiro e são orientados pelos pais a dizerem todas as palavras usadas como xingamentos que conhecem.

O que chama a atenção nesse comportamento — que pode até parecer inofensivo, mas não é — é que os pequenos têm um repertório vasto e estão ali sendo expostos para um número enorme de pessoas. Em entrevista à CRESCER, Elaine Di Sarno, psicóloga e neuropsicóloga de São Paulo, destaca que esse tipo de atitude pode confundir os pequenos. “O mais comum é ensinarmos às crianças que falar palavrão, pelo menos na infância e adolescência, não é adequado, é ‘feio’. Então, a criança pode ficar confusa ao receber outro direcionamento. Um adulto tem o discernimento de entender o que é só uma brincadeira nas redes sociais, mas uma criança não tem essa maturidade e fica difícil entender quando pode ou não pode falar palavrão”, aponta a especialista.

A psicóloga menciona, ainda, o quanto esse tipo de trend pode trazer impactos negativos para o desenvolvimento emocional infantil. “As crianças absorvem comportamentos e linguagens do ambiente ao seu redor, podendo influenciar seu entendimento de que é normativo o uso de palavrões, afinal de contas, os adultos responsáveis por elas estão filmando e postando nas redes sociais”, diz a psicóloga. “Isso pode afetar a maneira como elas expressam emoções, se comunicam e percebem a linguagem apropriada. A atenção dos pais e/ou responsáveis deve ser direcionada para promover ambientes saudáveis e comunicativos, evitando exposições prejudiciais”, acrescenta.

Para Carla Maia, psicóloga, especialista em desenvolvimento emocional e saúde mental de mulheres, crianças e adolescentes, é importante avaliar que o palavrão está associado à liberação de uma emoção e é utilizado em contextos específicos. É claro que não é crime falar um palavrão, mas é preciso saber quando e onde usá-lo, no entanto, os pequenos ainda não desenvolveram maturidade para ter esse discernimento.

O que fazer quando seu filho fala palavrão

Outro ponto que merece atenção é quanto à reação da família. Quando uma criança fala um palavrão, alguns pais riem e acham engraçado, isso também traz uma confusão sobre as normas de comportamento para a cabeça dos pequenos. “As crianças podem interpretar isso como aceitação ou até mesmo incentivo para continuar usando palavras inadequadas”, alerta Elaine Di Sarno. “Essa resposta positiva pode dificultar o estabelecimento de limites e a compreensão das crianças sobre o que é socialmente aceitável. Além disso, pode influenciar a percepção das crianças sobre o valor das palavras e a importância da comunicação respeitosa. Em vez de reforçar comportamentos inadequados, é aconselhável que os pais expliquem por que certas palavras não são apropriadas e incentivem o uso de linguagem respeitosa”, comenta a especialista.

Leia a reportagem completa da Revista Crescer