Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Delegado Nagib destaca avanços da Polícia Civil do Paraná e como são utilizadas as estatísticas na segurança pública

2024-03-22 às 15:04

Em entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba), nesta sexta-feira (22), o chefe da 13ª Subdivisão Policial de Ponta Grossa, delegado Dr. Nagib Nassif Palma, comentou sobre como são utilizadas as estatísticas no trabalho policial.

Avanços na PCPR

O Dr. Nagib pontua que existiram muitos avanços relacionados à segurança pública na gestão do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior. “A Polícia Civil teve avanços brutais principalmente na parte técnica nesses anos de gestão do atual governador. Mais do que dobrou o número de delegados no Paraná e, atualmente, eu tenho 27 delegados para trabalhar”, ressalta. “Eu cheguei a trabalhar somente com 11 delegados e quem ganha com esse aumento expressivo é a comunidade”, acrescenta.

Estatísticas na segurança pública

O delegado aponta que as estatísticas auxiliam a atuação da Polícia Civil nas diferentes áreas. “Elas mostram uma tendência e dão um norte sobre cada especificação de crime que acontece na cidade, porém temos que ter uma certa cautela em relação a elas mesmo quando os números são bons”, pondera. “Apesar de elas nos darem um norte de como trabalhar, elas não representam a realidade completa especialmente em determinados crimes como os patrimoniais. As estatísticas de segurança pública são necessárias, porém são indicativos de existência fática”, complementa.

Ele aponta que esses números são apenas indicativos especialmente em crimes que são subnotificados e não necessitam de um boletim de ocorrência (BO). “Em um bairro que teve 1 mil furtos, por exemplo, apenas 200 registraram BO, então pode aparentar que está baixando o número de crimes dessa natureza e não ser uma realidade”, destaca.

O Dr. Nagib afirma que, para crimes hediondos, as estatísticas traduzem a realidade de crimes dessa natureza. “Em casos de homicídio, por exemplo, esses números são exatos e traduzem a realidade da quantidade de crimes dessa natureza aconteceram no município”, explica.

Estatísticas de PG

O delegado pontua que na prática ele faz o comparativo de dois meses do ano anterior com dois meses do atual, no mesmo período do ano, para observar se os crimes de cada natureza específica diminuíram ou aumentaram no município.

“Segundo as estatísticas, o número de furtos e roubos reduziu em Ponta Grossa. O número de roubos registrados teve uma queda de 8% em relação ao ano anterior, enquanto o de furtos simples teve uma queda de 4,5% e o número de furtos qualificados teve uma queda de 1,45%. Nestes últimos dois meses aconteceram 14 homicídios em Ponta Grossa, enquanto no ano passado ocorreram 23 no mesmo período”, finaliza.

Ele reforça que as estatísticas servem para dar uma direção para o trabalho da Polícia Civil, mas, exceto em crimes hediondos, eles não traduzem a realidade.

Confira a entrevista completa: