Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Mulher que mantinha filha em cárcere privado, sob maus-tratos, é presa preventivamente em PG

2024-06-10 às 10:19
Foto: Reprodução/Google Maps

Uma mulher, de 50 anos, que mantinha em cárcere privado a própria filha, de 30 anos, foi presa preventivamente em Ponta Grossa. A vítima sofre de esquizofrenia e foi encontrada com claros sinais de desnutrição no dia 2 de junho, na residência em que morava com a mãe, na Vila Nova.

De acordo com a delegada Cláudia Kruger, da Delegacia da Mulher, a mulher por vezes manteria a filha amarrada e sem nenhuma alimentação. Uma denuncia anônima informou que a moça ficaria acorrentada e que era agredida fisicamente. A mãe construiu um muro alto na frente da residência, provavelmente para que ninguém visse o que se passava no local. O estado crítico de saúde apresentado pela jovem, visivelmente subnutrida, chocou até policiais mais experientes da delegacia e, certamente se essa vítima não tivesse sido socorrida, não resistiria por muito tempo, segundo a delegada.

Diante da gravidade do crime praticado e das provas trazidas aos autos, a Autoridade Policial da Delegacia da Mulher representou pela prisão preventiva dessa mãe, sendo a ordem prisional rapidamente deferida pela justiça. A investigada já está presa, permanecendo à disposição da Justiça, sendo enquadrada no crime de cárcere privado, agravado pelo fato da vítima ser familiar, também pelo tempo do crime e ainda, pelo grave sofrimento físico causado à vítima em razão dos maus tratos praticados.

Denúncias

No dia 2 de junho, a mulher de 30 anos, portadora de necessidades especiais, foi vista perambulando nua pela rua, fato que gerou denúncias por parte de moradores. Na ocasião, autoridades foram acionadas e foi constatado que a vítima havia escapado de uma residência próxima. Na casa, verificou-se o estado extremo de abandono em que essa moça vivia, em um ambiente insalubre, e também, que apresentava visível estado severo de desnutrição.

A jovem, já no interior da casa, chegou a pegar fezes que estavam no chão para comer, isso, diante das pessoas que ali se encontravam no momento da abordagem. A vítima foi imediatamente encaminhada pelo SAMU para atendimento médico e permanece internada.

O boletim de ocorrência sobre esses fatos foi encaminhado para Delegacia da Mulher, onde uma investigação minuciosa foi realizada pela equipe.

Informações da PCPR

Relembre

Mãe é detida suspeita de maus-tratos contra filha de 30 anos que sofre de esquizofrenia em PG