Sábado, 20 de Julho de 2024

Castro realiza 1º Fórum de Direitos Humanos

2023-05-03 às 10:39

Temas relevantes e que dizem respeito a pessoas de todas as etnias, gêneros, crenças e cores pautaram o 1º Fórum de Direitos Humanos de Castro. O evento foi realizado na Câmara de Vereadores do Município na sexta-feira (28), pela Prefeitura Municipal de Castro, Secretaria de Assistência Social e Rede de Enfrentamento às Violências, e teve como tema: Diversidade, Interculturalidade e o Respeito aos Direitos Humanos.

Ao longo de todo dia as palestrantes convidadas: Luciana Pawoski Franco Silvestre, Eliete Requerme de Campos e Marina Silva, apresentaram números da violência e negligências que circundam a realidade de grupos como o das mulheres, negros, público LGBTQIA+, negros, indígenas e outros. Os debates trouxeram à tona, por exemplo, reflexões acerca dos fatos históricos que contribuíram para a criação das políticas públicas e instituições que se dedicam aos direitos humanos, e suas práticas na sociedade.

Para a secretária municipal de Assistência Social, Michele Nocera Fadel, a partir da realização do primeiro Fórum de Direitos Humanos abrem-se discussões para a construção de estratégias de trabalho para as diversas áreas desse setor. “Foi um momento de muito aprendizado, um fórum de caráter socioeducativo, a partir do qual dialogamos para o desenvolvimento de ações, e temos condições de propor uma reflexão mais profunda nos diversos segmentos desse tema que é tão amplo”, destacou.

Ao discursar no início do evento, a secretária lembrou que cada indivíduo merece ser tratado com dignidade, e que os direitos humanos são baseados no princípio do respeito. Destacou também o quanto esses direitos são infringidos ainda hoje e que as negligências e formas de violência ocorrem nos mais variados meios sociais. “Aqui falamos em duas palavras importantíssimas em nossa vida, dignidade e respeito. São chamados de direitos humanos porque são universais e merecidos por todos, não importa quem sejam e onde moram. Falar sobre direitos humanos tem se mostrado cada vez como uma necessidade em nossa sociedade, pois constantemente nos deparamos com situações graves que infringem esses direitos, e aqui podemos falar em especial sobre as violências contra as mulheres, contra os idosos, contra crianças e adolescentes, quilombolas, indígenas e pessoas LGBTQIA+. Essas situações ocorrem em todos os contextos sociais, econômicos e geográficos, as violências nem sempre acontecem nas famílias mais humildes. Elas acontecem no contexto geral, o que indica a importância da ampliação do debate sobre o tema, em especial com crianças e adolescentes, a geração que tem o poder de produzir mudanças daqui para frente. Por isso, esse é um momento muito importante de conscientização”, ressaltou.

A coordenadora da Rede de Enfrentamento às Violências, Juliana Silva Castro também falou da missão de realização do Fórum, e afirmou que um dos objetivos do evento foi o de promover o reconhecimento de que todos são sujeitos de direito, e merecedores de respeito, independente de cor, gênero, raça, etnia e crenças. “A realização deste Fórum busca a formação de uma cultura que respeita a dignidade humana por meio da promoção, proteção e vivência dos valores: liberdade, justiça, igualdade, tolerância e paz. Esperamos que tenha sido um início de esclarecimentos sobre os direitos dos povos indígenas e população LGBTQIA+, e que possa gerar reflexões e mudanças de comportamentos. Desde a sua regulamentação, a Rede [de Enfrentamento às Violências] tem realizado e apoiado diversas mobilizações, campanhas, capacitações e discussões sobre direito de crianças, adolescentes, mulheres, pessoas com deficiência e pessoas idosas, mas precisamos avançar em temas que são poucos debatidos”, destacou.

Ao declarar oficialmente aberto o 1º Fórum de Direitos Humanos de Castro, o secretário de Governo, Álvaro Telles Filho também ressaltou a importância de diálogos que tragam à pauta o tema dos direitos humanos. “Esse evento é um espaço importante para uma questão democrática, para discutirmos juntos os desafios e oportunidades relacionados aos direitos humanos em nosso município e região. Hoje mais do que nunca é fundamental refletirmos sobre a importância desses direitos, e sobre como eles impactam a vida e o cotidiano de cada um de nós. Quero destacar que em nível municipal, a maioria das políticas públicas são implementadas com base no impacto direto na vida das pessoas”, finalizou.

Programação

Durante o 1º Fórum de Direito Humanos o público presente teve ainda a oportunidade de assistir a duas apresentações. A primeira delas com o Grupo Herdeiros do Fogo, do Serviço de Convivência Padre Marcelo Quilici, que apresentou coreografia da música ‘Mais Amor’, de Duda Pimentel, sob orientação da educadora Mariana.

A segunda apresentação foi do Grupo Raízes, que representou a Comunidade Quilombola, com a encenação ‘Boneco Pretinho’. O grupo é composto por alunos da Escola Municipal Professor Benedito Roque de Campos Leal, da comunidade de Serra do Apon.

da assessoria