Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Médico Dr. Lincoln Babo explica em quais casos é necessário procurar pronto atendimento pediátrico

2023-05-03 às 16:35

Em entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba), nesta quarta-feira (3), o pediatra Dr. Lincoln Babo Alves comentou sobre as doenças respiratórias que atingem as crianças durante o outono e inverno e a importância de procurar o pronto-atendimento somente quando necessário.

O médico avalia que apenas 20% dos casos que recebem atendimento nos prontos atendimentos é que realmente necessitam do serviço. Aqueles que mais procuram o local geralmente são aqueles que têm outras alternativas, segundo o médico, como procurar os postos de saúde ou encaixes de consulta com o próprio pediatra, por exemplo, para não concentrar tudo no pronto atendimento. “Se não é urgência e emergência, não precisa ir no pronto atendimento”, diz.

Quando as crianças apresentarem sintomas de doenças respiratórios, como coriza, tosse e até mesmo febre, a orientação é não perder a calma. “É bom ter um certo conhecimento da normalidade de algumas infecções mais leves, principalmente os resfriados, são as infecções mais leves, mas é aceitar que isso é normal, não é descuido, faz parte da idade e da nossa região, isso é comum”, diz. Outra orientação é não levar a criança ao hospital toda vez que apresentar sintomas de doenças respiratórias, pois é um ambiente que pode conter germes mais graves, segundo Dr. Lincoln. “Às vezes os pais acham que estão fazendo uma coisa boa de levar a criança no hospital por qualquer sintoma, sendo que era melhor observar um pouco em casa”, completa.

Ao ser questionado sobre qual a hora certa de levar a criança ao hospital, o médico explica que é importante analisar os sinais de boa vitalidade dos pequenos. “Aquela criança que está mamando bem, ou que tem mais de seis meses que está comendo bem, a criança que está ativa, que a febre acabou de começar, até uns três dias, normalmente dá para segurar a criança em casa. Acima de dois meses é possível ter febre, é esperado, abaixo de dois meses nunca é normal ter febre, sempre deve procurar o atendimento nessa idade”, orienta.

Uma das principais causas do aumento destas doenças nesta época do ano é grande variação de temperatura em curtos períodos de tempo na região dos Campos Gerais, segundo médico. Com a oscilação térmica, a chance de apresentar infecções aumenta por conta da baixa imunidade. Neste período é importante manter os ambientes ventilados para evitar contaminações, principalmente em escolas.

“As crianças ficam muito doentes nessa época do ano, é uma questão que tem que ser lidada principalmente nas creches, você tem uma carga viral em um espaço, se ele estiver fechado, sem circulação de ar, vai ter mais vírus, e quanto mais vírus, mais chance de pegar uma infecção. Nosso organismo está o tempo inteiro combatendo o que tenta entrar no nosso organismo, mas se tiver muito, uma hora o vírus entra, depende da concentração de vírus no local. Por isso tem que ventilar o ambiente, mesmo no inverno”, reforça o médico que ainda orienta a lavagem nasal e a higiene das mãos como prevenção.

Confira a entrevista na íntegra: