Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

De Ponta A Ponta: Guy Canto – Livre-se dos óculos

2024-05-26 às 15:54
Foto: Divulgação

Oftalmologista Guy Romaguera Canto destaca as vantagens da cirurgia refrativa a laser, técnica personalizada, rápida e indolor que zera o grau de miopia, hipermetropia ou astigmatismo

por Michelle de Geus

Para quem tem algum problema de visão, é impossível ficar sem óculos de grau ou lentes de contato. O alto grau de miopia, hipermetropia ou astigmatismo impede que as pessoas trabalhem, assistam a um filme com legendas ou dirijam sem essa “muleta”. A boa notícia é que existe uma excelente opção para quem tem o desejo de enxergar bem sem a ajuda dos óculos: a cirurgia refrativa a laser.

De acordo com o médico oftalmologista Guy Romaguera Canto, que atende em Ponta Grossa, a técnica cirúrgica é realizada de forma personalizada e tem como objetivo zerar o grau de miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Com isso, o paciente fica livre da necessidade de usar óculos, aumentando a sua autoestima e melhorando a qualidade de vida.

O médico explica que na frente dos nossos olhos existe uma “lente” natural chamada córnea. É nela que o laser age durante a cirurgia refrativa, modificando o seu formato e corrigindo o grau. “A cirurgia refrativa é 100% efetiva, porém o grau do paciente precisa estar estabilizado há, pelo menos, um ano”, explica, acrescentando que o paciente também precisa ter mais de 18 anos, exames complementares normais e nenhuma doença sistêmica que contraindique a cirurgia.

Diferentes técnicas

Canto assinala que existem duas principais técnicas refrativas a laser. A primeira delas é a PRK, uma técnica sem cortes, que dura de cinco a dez minutos e exige até cinco dias de repouso. A outra é a LASIK, uma cirurgia com cortes, que leva de dez a 20 minutos, e o repouso não ultrapassa três dias.

“No LASIK, a recuperação é mais rápida, porém algumas atividades ficam mais restritas por mais tempo. Além disso, o paciente necessariamente precisa ter uma córnea mais grossa em relação ao seu grau”, compara.
O oftalmologista garante que a cirurgia, independente da técnica escolhida, é completamente indolor e não necessita de internação. “A vantagem de ambas é muito similar, geralmente o paciente já sai enxergando logo após cirurgia”, observa.

Qualidade de vida e economia

Com mais de seis mil cirurgias realizadas, Canto compartilha em seu Instagram (@guy_canto) vídeos dos procedimentos, relatos de pacientes, o antes e depois, e como é a vida livre dos óculos. “A mudança é radical. Não é apenas uma questão de autoestima, mas também de melhora na qualidade de vida e qualidade visual”, enfatiza.

O médico acrescenta que, a longo prazo, a cirurgia refrativa é um investimento, e o dinheiro gasto acaba voltando para o bolso. “O custo não é alto, e os últimos estudos demonstram que, em média, em quatro anos o paciente começa a economizar o dinheiro que gastava com óculos. Dependendo do grau, essa economia pode chegar a R$ 20 mil em dez anos”, relata.

Quem é

Guy Romaguera Canto é sócio-proprietário do Hospital de Olhos de Ponta Grossa (HOPG) e membro titular da Associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR/BRASCRS). Ele atende na Policlínica, localizada na rua Francisco Búrzio, 705, no Centro de Ponta Grossa. Cirurgias e exames complementares são realizados no HOPG, situado na rua Balduíno Taques, 515, no bairro Estrela.

Para mas informações acesse www.guycanto.com.br.

Conteúdo publicado originalmente na Revista D’Ponta #300