Segunda-feira, 15 de Julho de 2024

Revista D’Ponta: Especial Gestores – Pedro Moyses Soares Jacintho

2023-04-17 às 10:28

            PEDRO MOYSES SOARES JACINTHO

            Diretor-presidente da Unimed Ponta Grossa

 

Cooperado da Unimed Ponta Grossa desde fevereiro de 2008, Pedro Moyses Soares Jacintho atuou como médico auditor da unidade ponta-grossense, como diretor-técnico médico do Hospital Geral Unimed (HGU) e integrou o Conselho Fiscal. Foi também membro do Conselho Fiscal da Unimed Paraná. Foi eleito diretor-presidente do Conselho de Administração, por aclamação, em 20 de março e tomou posse do cargo em 1º de abril último, para dirigir a cooperativa até 2026.

Com mais de 20 anos de atuação na área, Jacintho se graduou em Medicina pela Universidade Severino Sombra (Vassouras/RJ) e fez residência médica em Ortopedia e Traumatologia no Hospital e Maternidade Angelina Caron (Campina Grande do Sul/PR). É membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, da Sociedade Latino-Americana de Artroscopia, Joelho e Esporte (SLARD), e da Sociedade Internacional de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Medicina do Esporte Ortopédica.

 

            Qual é a prioridade da nova gestão?

Temos como principal objetivo a manutenção do crescimento da cooperativa. Um crescimento que tem sido constante nos últimos anos e que deve ser mantido também com a evolução da nossa cidade e região, que, economicamente, está cada vez melhor, atraindo mais empresas. Para esse crescimento ser sustentável, devemos investir na qualidade do atendimento, principalmente nos serviços próprios – hospital e laboratório –, e também nos consultórios dos nossos médicos cooperados. Esse investimento deve se basear, principalmente, em tecnologias novas e em processos de atendimento de qualidade, para que possamos satisfazer as necessidades dos nossos beneficiários.

 

            Qual é o principal desafio que o cargo apresenta?

É um desafio muito grande para mim, como médico, assumir um cargo de gestão em uma empresa tão importante para a nossa cidade e região. O momento da saúde suplementar do país é difícil e isso nos trará muitos desafios a serem enfrentados nesse momento. Mas tenho certeza de que, com foco na qualidade do atendimento aos nossos beneficiários, sem esquecer de que somos uma cooperativa e de que precisamos dar total apoio aos nossos médicos cooperados, vamos conseguir continuar evoluindo e transformando a nossa Unimed em uma empresa cada vez melhor.

 

            Que legado pretende construir no exercício da função?

Quero deixar um legado de trabalho. Penso que o principal objetivo da Unimed, como empresa prestadora de serviços na área de saúde, é dar ênfase na qualidade de atendimento, buscando a excelência. Além de não esquecer, claro, do suporte aos nossos médicos cooperados, que são os que fazem a cooperativa funcionar. Penso que o mais importante hoje, para nós, é focar o trabalho na evolução da qualidade de atendimento e na evolução da cooperativa.

 

            Quais são as possibilidades, a curto e médio prazo, de ampliar a gama de serviços e especialidades na região?

Isso é um fator em que estamos sempre de olho, sempre buscando avaliar qual é a necessidade de aumento dos nossos serviços em capacidade de atendimento, a melhoria contínua da qualidade, novas tecnologias e alternativas de tratamento mais avançados, para que tenhamos, em Ponta Grossa e região, uma medicina de qualidade, assim como a oferecida nos grandes centros.

 

            Qual é a relevância de alcançar o nível de acreditação ouro junto à ONA e como assegurar que a Unimed mantenha esse nível de excelência no atendimento?

Reforço sempre sobre a qualidade e excelência de atendimento que nós prestamos nos nossos serviços. E, para conseguirmos isso de forma sustentável, precisamos ter processos que amparem o trabalho assistencial no hospital e no laboratório. Temos a acreditação nível máximo pela Organização Nacional da Acreditação [ONA] e o maior desafio agora é continuar evoluindo, trabalhando nesses processos para manutenção dessa acreditação, que sempre vai nos trazer uma condição melhor de trabalho e uma qualidade maior no atendimento aos beneficiários.

 

            Qual é o impacto dos estudos de expansão de recursos próprios para investimentos em tecnologia e inovação a curto prazo?

A tecnologia é fundamental para mantermos a qualidade do atendimento. Hoje temos que usar de diversos fatores para conseguir mensurar a necessidade dos nossos clientes e conseguir oferecer a eles uma melhor qualidade de vida. Inclusive pré-hospitalar. Para isso, estamos estruturando agora um centro de atendimento, que será o Espaço Saúde Unimed. Para o futuro, temos planos de expansão do nosso hospital para aumentar não só o número de leitos, mas a tecnologia empregada, com o uso de inteligência artificial e cirurgia robótica. Estamos desenvolvendo estudos para conseguir, cada vez mais, trazer essa qualidade máxima de atendimento aos nossos beneficiários daqui de Ponta Grossa e da região.

 

conteúdo publicado originalmente na edição #295 da Revista D’Ponta