Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Anvisa registra vacina para prevenção de bronquiolite em bebês

2024-04-01 às 10:15
Foto: Fábio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

A Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, autorizou o registro da vacina Abrysvo, da empresa Pfizer. O imunizante é destinado ao combate ao vírus sincicial respiratório (VSR), causador de infecções no trato respiratório, com destaque para a bronquiolite.

A bronquiolite é uma inflamação dos brônquios que acomete com bastante preocupação crianças pequenas e bebês. O imunizante Abrysvo está indicado para prevenção da doença do trato respiratório inferior e da doença grave do trato respiratório inferior em crianças desde o nascimento até os 6 meses de idade, por imunização ativa em gestantes.

Isso significa que, para a proteção das crianças, a aplicação da vacina deve ser feita nas mães, durante a gestação. A vacina não é aplicada diretamente nos bebês.

Também foi autorizado o seu uso na prevenção da doença do trato respiratório inferior causada pelo VSR em indivíduos com 60 anos de idade ou mais, população também considerada de risco.

Sobre a vacina

A vacina Abrysvo é dita bivalente, pois é composta por dois antígenos da proteína de superfície F do VSR. Sua administração é intramuscular e o esquema posológico envolve a aplicação de uma única dose. A vacina deve ser aplicada nas gestantes durante o segundo ou terceiro trimestre da gestação.

Como todo medicamento, foram observados alguns efeitos colaterais na administração do imunizante, sendo os mais comuns: dor no local da vacinação, dor de cabeça e dor muscular.

Ainda assim, a totalidade das evidências apresentadas à Anvisa foi capaz de demonstrar que os benefícios da vacina são superiores aos seus riscos. Foi também comprovada sua eficácia, segurança e qualidade.

A análise do imunizante foi priorizada por se tratar de medicamento novo destinado à população pediátrica.

A Anvisa já tinha autorizado o registro da vacina Arexvy (GlaxoSmith Kline), também destinada à prevenção de doenças causadas pelo VSR, porém com indicação restrita à população com idade superior a 60 anos.

do Ministério da Saúde