Live do Sindicato Rural de PG aborda utilização de bioinsumos na agricultura moderna | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024

Live do Sindicato Rural de PG aborda utilização de bioinsumos na agricultura moderna

2023-06-30 às 17:50

Em live do Quinta com Café, promovida pelo Sindicato Rural de Ponta Grossa, na noite desta quinta-feira (29º), o presidente Gustavo Ribas recebeu a engenheira agrônoma, sócia do Safra Ensino e coordenadora técnica da CGM, Dra. Keli Guera, e a engenheira agrônoma, bióloga e coordenadora técnica de mercado da Nitro Biocontrol, Dra. Gabriela Vieira Silva, para debater sobre a utilização de biológicos na agricultura moderna.

Quando o assunto é fertilidade do solo e nutrição de plantas, os microorganismos e bioinsumos são essenciais, segundo Dra. Keli Guera. “Sem eles, obviamente a gente não consegue todo processo da absorção, visto que é pelos microorganismos que acontece todo o processo de decomposição da matéria orgânica, disponibilidade para absorção da planta. E todo o desenvolvimento da planta pode, sim, ser acelerado ou melhorado com a utilização de microorganismos e de bioinsumos”, diz.

Em complemento, Dra. Gabriela Vieira reflete que a evolução do manejo biológico está acontecendo de uma forma muito rápida e com qualidade, embora existam algumas excessões. “Mas o cenário hoje é totalmente favorável e a gente está sentindo isso, esse crescimento e inúmeras possibilidades”, diz.

“Trazendo para essa agricultura moderna, o que eu vejo muito nessa área dos bioinsumos é que a gente tem hoje ferramentas extremamente tecnológicas dentro do manejo de doenças e de pragas, dentro das possibilidades de proteção das plantas contra estresses bióticos, que são pragas e doenças, e abióticos, salinidade, temperatura, estresse hídrico”, observa Vieira.

Dependência de fontes 

Em termos de fertilidade de solo, Dra. Keli Guera comenta que existe uma forte dependência do Brasil com relação às fontes de nitrogênio, fósforo e potássio, por exemplo, o que torna o país muito vulnerável, segundo a engenheira agrônoma. “Quando a gente vai esperar que algo muito grandioso aconteça? Não só a guerra da Ucrânia, mas antes disso até os conflitos no Oriente Médio acabam alterando muito os preços. Quando a gente fala de Ucrânia, Rússia, estamos falando da nossa principal fonte de potássio, que é o cloreto de potássio”, diz.

Desta forma, os insumos biológicos podem auxiliar nesse processo de captação, sem redução da perda, como é o caso do potássio, tornando a planta mais eficiente para absorção desses nutrientes, principalmente no ambiente radicular, como explica Keli Guera. “Do outro lado, a nível de indústria, também tem muitos trabalhos falando da utilização dos microorganismos em fontes insolúveis em água. É o caso por exemplo das rochas, que a presença dos microorganismos e muitas vezes o trabalho deles acaba acelerando o processo de dissolução de fontes alternativas que acabam por acelerar o processo de absorção das plantas”, explica.

“Os microorganismos entram também nesse uso eficiente de fertilizantes. O Brasil em si tem algumas fontes extremamente interessantes, ou seja, de rochas, minas, desses tipos de fertilizantes, em que a utilização de microorganismos, principalmente seleções de estirpes que melhoram esse processo de decomposição, entregando para a planta um nutriente mais prontamente disponível, vai acabar tornando o Brasil, nesse ponto de vista, como é o caso dos solubilizadores de fórforo, menos dependentes do uso desse fertilizante”, pontua.

Todo o cenário de pandemia e guerra forçou a agricultura, de modo geral, a buscar novas alternativas, e a indústria no desenvolvimento de ferramentas, conforme explica Dra. Gabriela Vieira. “Mas eu vejo também um crescimento muito grande do produtor em relação à sua tecnificação, porque o produtor precisa entender porque agora estou colocando uma bactéria no solo e estou dizendo que essa bactéria vai disponibilizar fósforo para minha planta? São pontos importantes que fazem com que a agricultura e todo o manejo seja mais eficiente, então a gente tem  a indústria na produção dos insumos, temos as empresas na venda e o produtor que está crescendo junto, com toda essa demanda de novas técnicas para o melhor resultado e uma menor dependência principalmente a fatores externos, importação de insumos”, complementa.

“A gente precisa de fato olhar para a agricultura, para o solo e para a planta de uma única forma, entender a variabilidade que tem dentro desse cenário, entender a necessidade de equilíbrio e como a gente consegue? Através de bioinsumos, não somente, mas também, para manter e melhorar todo esse cenário, é o pacote”, finaliza Vieira.

Confira a live na íntegra: