Domingo, 22 de Maio de 2022

Vinhos & Viagens: As belezas de Salvador e o caribe baiano

07/01/2022 às 16:23
Elevador Lacerda

Que saudade de escrever sobre turismo, mas com essa pandemia foi complicado viajar. Me programei para dezembro e janeiro e coloquei o pé na estrada antes que a nova variante ômicron disseminasse pelo mundo e começassem a ser cancelados voos e cruzeiros novamente. Vim para Salvador, que é a primeira capital brasileira, localizada no nordeste do país, no Estado da Bahia. Tem atualmente quase 3 milhões de habitantes e é dona de muita cultura, história, inúmeros atrativos turísticos e praias lindas. É uma cidade imensa, o famoso Pelourinho, por exemplo, fica no Centro Histórico, com ruas estreitas de paralelepípedos que lembram muito algumas partes de Lisboa – Portugal. Entre os pontos turísticos coloniais do Pelourinho está a Igreja e Convento de São Francisco (que tem uma quantidade imensa de ouro, infelizmente estava fechada no dia que fui) e a Catedral Basílica de Salvador, com azulejos portugueses e esculturas intrincadas banhadas a ouro, além disso tem vários comércios e bares, e no carnaval é um dos pontos mais famosos da Bahia.

Visitei o Mercado do Rio Vermelho (adoro esses lugares porque acabamos conhecendo muito da cultura local) que iniciou suas atividades nos anos 70, são mais de 100 boxes que comercializam produtos locais, artesanato, peixes, bares e restaurantes, voltei com muitas cachaças de várias regiões da Bahia, entre outros artigos. O mercado fica na Av. Juracy Magalhães Júnior, 1624 – Rio Vermelho e os horários de funcionamento são: segunda a sábado das 7h às 18h e domingos e feriados das 07h às 16h (box´s somente até as 14h).

Sabia que em Salvador está localizado o primeiro elevador Urbano do Mundo?

O Elevador Lacerda teve a primeira torre inaugurada em 8 de dezembro de 1873, e já na época era o elevador mais alto do mundo com 63 metros. Em 1930 recebeu reformas e ficou com 72 metros, é um ponto turístico e um dos cartões postais da cidade, além de ser considerado um meio de transporte, pois faz a locomoção de pessoas entre a Praça Cairu, na Cidade Baixa, e a Praça Tomé de Sousa, na Cidade Alta, o ticket é baratíssimo, R$ 0,25 centavos, essa parte da cidade me lembrou a Baixa e o Chiado em Portugal.

Mercado Modelo

O Mercado Modelo foi inaugurado em 1912 na antiga Alfândega de Salvador, fica próximo ao elevador, é patrimônio histórico da Bahia e outro ponto interessante para visitar e gastar (risos). Fica em frente da Baía de Todos os Santos, onde Jorge Amado, exímio frequentador, se inspirou para criar uma das suas novelas, A morte e a morte de Quincas Berro D’água (1959). São mais de 260 boxes que também oferecem artesanato, artigos da cultura local e dois restaurantes no andar superior, o endereço é Praça Visconde de Cayru, s/n – Bairro do Comércio. O horário de funcionamento é de segunda a sábado das 09h às 19h e domingos e feriados das 09h às 14h com os restaurantes até as 16h.

A Igreja Nosso Senhor do Bonfim, além de uma igreja católica, se tornou um ponto turístico procuradíssimo, suas obras internas foram finalizadas em 1754, e é lá que são distribuídas as famosas fitinhas do Bonfim, que são feitas desde o início do século XIX com a medida do comprimento do braço direito até o peito da imagem do Senhor do Bonfim. Para os baianos, a Igreja do Bonfim é o maior centro da fé católica, a tradição das fitinhas do Senhor do Bonfim foi idealizada por Manoel Antônio da Silva Servo em 1809. Nessa época ele era o tesoureiro e implementou este costume com o objetivo de aumentar a arrecadação de dinheiro para a devoção ao Senhor do Bonfim. Todos os anos, na segunda quinta-feira do mês de janeiro após o dia de Reis, realiza-se a Lavagem do Bonfim, em que baianas lavam com água de cheiro e muita festa os degraus da escadaria da igreja, embaladas por seus blocos de afoxé.

Em Salvador há muitos museus, muita gastronomia e muitas praias e ilhas. Próximo ao Mercado Modelo fica o Terminal Turístico Náutico da Bahia, o cais do Porto de Salvador, a Bahia Marina e o Terminal Hidroviário de São Joaquim, de onde partem lanchas, escunas e catamarãs que levam turistas para diversas praias e ilhas famosas como a de Itaparica, o Morro de São Paulo, Praia de Garapuá, Arquipélago de Cairu, entre outros. Há ainda outras praias em Salvador cujo acesso dispensa barco para visitar, como a famosa Praia de Itapuã, onde morou Vinicius de Morais, Praia da Barra, de Piatã, Ondina, Flamengo, Forte, Stella Maris, entre muitas outras. Neste artigo escolhi uma opção menos óbvia para comentar: a Ilha de Maré, um lugar considerado o caribe baiano.

Ilha da Maré

A Praia das Neves está localizada na Ilha de Maré, é considerada uma das praias mais lindas de Salvador, inclusive com águas mornas (e de fato constatei que as águas estavam mornas). Para ir até lá, você precisará se dirigir até o bairro São Tomé de Paripe (subúrbio baiano), dependendo de onde estiver instalado(a) em Salvador é possível ir de táxi, ônibus ou, como eu, com motorista de aplicativo. Como estava hospedada em Pituba, para chegar até lá foram R$ 50,00. O traslado até a ilha pode ser feito de várias formas:

1- Gastar mais contratando seu barco ou sua lancha particular que custam de R$ 2.000,00 a R$ 3.500,00 a diária;

2- Pegar grandes barcos que saem do Terminal Marítimo onde as passagens custam super baratas, aproximadamente R$ 5,00, porém você precisará aguardar até ter o número de passageiros necessários para a embarcação sair;

3- Optar pelo espírito aventureiro e pegar embarcações pequenas que cobram em média R$ 8,00 por pessoa, se você estiver em um grupo, pode fechar uma pequena barca somente para vocês.

Barcas pequenas em Paripe que fazem a travessia para Ilha de Maré

A travessia é rápida, dura aproximadamente 20 minutos, e além da Praia das Neves, você pode optar por descer em Itamoabo, Botelho ou Inema, outras praias próximas. É importante destacar que se você procura luxo, essa não é sua praia, mas se você é aventureiro (a), procura conhecer coisas diferentes e não se importa com algum “perrengue”, caso venha a surgir, se joga!

Optei pelas barcas menores, chegando lá temos que descer na água que não passa dos joelhos, se prepare: leve mochila com bloqueador solar, boné, óculos, chapéus, toalhas etc. Se tem alergia a frutos do mar ou for muito criterioso(a) com a alimentação, leve seu lanche, lá tem poucas opções, algumas barracas oferecem frutos do mar, peixes, tem batata frita, bebidas como cerveja, caipiras (e claro a famosa róska), refrigerantes, água, tem alguns ambulantes vendendo queijo coalho no espeto (acaba rápido), tem também muito acarajé e só!

Fui durante a tarde e para mim foi o suficiente, se gosta de ficar o dia todo na praia (que não é o meu caso), se planeje para ir pela manhã. Logo que cheguei fui procurar um guarda-sol e cadeiras para locar, para minha surpresa eles não cobram nada para oferecer esses equipamentos, porém você precisa consumir na barraca que te oferecer o serviço.

A paisagem desta ilha é linda, as águas, como havia dito anteriormente, são mornas! O dia estava com bastante sol, porém estava lotadíssima, já não é mais um local de poucas pessoas como muitas matérias dizem, algo que me deixou decepcionada foi o excesso de lixo, sim, em pleno século XXI com os vários problemas ambientais que temos, muitas pessoas ainda não se conscientizaram e fazem o descarte inadequado de lixo. Outra coisa importante é que tem cavalos por lá, as pessoas ficam cavalgando pela praia, é necessário tomar cuidado com crianças e com você mesmo (a) para não serem atropelados por um!

Então não seria uma boa recomendação visitar essa praia?

É, sim!

A praia é linda, minha recomendação é que se você tiver flexibilidade na agenda, escolha datas fora de alta temporada e grandes feriados. Em Salvador é calor o ano todo, a previsão de chuvas mais intensas acontece entre os meses de abril e junho o que pode atrapalhar um pouco no quesito trânsito e no aproveitamento dos passeios. Escolhendo uma data fora do período de férias, o fluxo de pessoas com certeza será bem menor e a tranquilidade deve reinar!

São muitas as opções de lazer e passeio oferecidas em Salvador, até a próxima!

Siga-me nas redes sociais! https://www.instagram.com/patriciaecave/

 

 

Vinhos & Viagens

por Patrícia Ecave

Patrícia Ecave é jornalista, digital Influencer e sommelière paranaense. Trabalhou com radiojornalismo, assessoria de imprensa, eventos, produção de vídeos, funcionalismo público, gestão administrativa e gestão de pessoas. Realizou viagens enogastronômicas e cursos no país e no exterior, como Vale dos Vinhedos, Cone sul e Europa. Organiza workshops, cursos, jantares harmonizados, treinamento de equipes e consultoria geral. Escreve sobre viagens, vinhos e gastronomia.