Sábado, 25 de Junho de 2022

Vinhos & Viagens: ‘Vinha, vinho e história – Avidagos Wine se prepara para estrear no Brasil’, por Patrícia Ecave

25/03/2022 às 13:48

 Com 400 anos de tradição, a Quinta dos Avidagos reúne muito mais que experiência, ela apresenta modernidade e inovação, aliadas ao resgate de castas como a autóctone Alvarelhão e vinhos diferenciados que prometem agradáveis degustações aos apreciadores de vinhos portugueses.

A palavra Avidagos tem origem latina e seu significado está relacionado à videira, esse derivado de vitis (videira, vide) é o nome da Quinta que está situada no Baixo-Corgo na região do Douro, nordeste de Portugal. A região representa toda a margem direita do Rio Douro, – desde Barqueiros até o Rio Ceira (limite da União de freguesias de Galafura e Covelinhas), no concelho de Peso da Régua –, e parte da margem esquerda, – desde a freguesia de Barrô até o Rio Temi-Lobos, nas proximidades da Vila de Armamar.

Curiosidade

Avidagos é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Mirandela, com uma área de 17,12 quilómetros quadrados e 245 habitantes (2011). Sua densidade populacional é de 14,3 hab/km². Foi extinto (fundido) na reorganização administrativa de 2012/2013 e seus territórios foram incorporados à união de freguesias de Avidagos, Navalho e Pereira. A antiga freguesia tem duas freguesias filiadas: Carvalhal e Palorca. Administrativamente, Avidagos pertenceu ao concelho de Lamas de Orelhão até à sua extinção em 31 de dezembro de 1853. O topónimo Avidagos deve ser a forma substituta dos antigos Vidagos, de uma palavra antiga “vidago”, derivada de “vide”. Do latim habitaculum, “habitar”, via português antigo Avidaguo (Auidagoo).

Da Quinta dos Avidagos temos uma vista extraordinária da região e do rio Douro. São 3 quintas de propriedade da família, resultando num total de 55 hectares: Firvida e Além Tanha, Avidagos,  e Varanda. Aos visitantes estão reservadas belas degustações e, atualmente, a vinícola produz 14 rótulos entre tintos, rosés, brancos e, agora, também o Vinho do Porto.

“O Douro é verdadeiramente um terroir único e singular. Nossos vinhos têm recebido excelentes críticas de especialistas no que diz respeito à qualidade e às vendas, tanto no mercado interno como nos mercados de exportação, e têm conquistado premiações”, destaca o  CEO Pedro Lencastre Tagmagnini. Pedro faz questão de citar sua admiração pela avó Maria Eugênia, matriarca que dedicou sua vida ao trabalho e à família sempre incentivando seus netos com sua visão de mundo, é nela que Pedro busca inspiração para seguir com os negócios da família. Ele se considera insatisfeito por natureza, no bom sentido, pois sempre está em busca de algo a mais e de melhorar sempre, acredita que ir ao encontro das pessoas é um diferencial atualmente. Durante um jantar harmonizado em Lisboa no início do mês, Pedro trouxe detalhes do trabalho que vem sendo realizado pela vinícola Quinta dos Avidagos que possui vinhas próprias, o empenho em sempre buscar proporcionar o que há de melhor em termos de castas na região e os projetos para investimentos em enoturismo e crescimento da oferta de atividades na Quinta.

Pedro Lencastre Tamagnini

No jantar harmonizado, Pedro Lencastre Tamagnini apresentou dois rótulos iniciais, ambos brancos. O primeiro foi o Reserva Branco 2019, elaborado com as castas Arinto e Viosinho que foram vinificadas separadamente, passando ainda por um breve estágio de barrica (o produtor destaca que a passagem por barrica tem como objetivo trazer um diferencial sem permitir uma marcação acentuada de madeira, mas sim proporcionando um vinho aromático com acidez singular).

O segundo vinho foi o varietal Reserva Branco Arinto 2020, cítrico, cremoso em boca e com acidez marcante. A uva Arinto é bastante conhecida pela sua acidez e o destaque dado durante a apresentação foi a versatilidade, é uma uva cujo vinho pode ser consumido jovem, mas também tem capacidade para envelhecimento. O segundo rótulo contou também com um breve estágio por barrica apresentando uma leve oxidação e complexidade no paladar.

Fora da Curva

O próximo vinho que foi apresentado é considerado pelo produtor como um “Fora da Curva”, ou seja, um vinho diferenciado, e chama-se MesmoTinto, um varietal elaborado com a casta Alvarelhão. Esta casta já foi bastante explorada na região dos vinhos verdes e era pouco conhecida no Douro, foi uma das últimas uvas plantadas pela família e, portanto, uma proposta diferente do que o Douro faz tradicionalmente. É notável a qualidade do vinho que é leve em termos de cor, traz fruta marcante e, segundo Pedro, foi pensado para acompanhar as tendências atuais e modernas onde muitos consumidores procuram um vinho de estilo leve, fresco, com acidez e aromas presentes, além de saboroso e interessante. “É o que podemos chamar de Pinot Noir do Douro”, disse Pedro, que fez uma comparação com os pinots noir produzidos na América do Sul. Para ele, estes têm muita fruta, pouca acidez enquanto os da região do Douro ao Norte é o contrário: mais acidez e não tanta fruta. “Um equilíbrio entre paralelos, resumindo, esse é o Mesmotinto: muita fruta, boa acidez e pode ser consumido mais fresco que um tinto normal, podendo ser servido na temperatura de 12 graus”, afirmou.

Outro exemplar diferenciado produzido pela vinícola se chama: Extinto. Trata-se de um vinho feito pela mesma uva citada no vinho anterior, a Avarelhão, porém é branco. Por isso o nome, com a uva tinta foi produzido um vinho branco, é considerado extremamente interessante e tem produção limitada.

Para Pedro  os vinhos produzidos pela Quinta  podem ser considerados versáteis, práticos, apropriados para serem degustados sozinhos ou harmonizados com pratos regionais, entre outras opções, “são vinhos de excelente qualidade, com perfil internacional e sem perder o caráter da nossa terra”, afirma.

Outros dois rótulos apresentados foram o Quinta do Além Tanha e o Lenuma, ambos são blends produzidos com 8 castas provenientes de vinhas velhas, o primeiro apresenta bom corpo e intensidade e sobressaem frutas silvestres maduras. A diferença do primeiro para o segundo, é que o Lenuma é produzido na mesma zona da vinha, porém com outra exposição e, por isso, têm características diferentes e mantêm ótima intensidade e complexidade com notas minerais e um toque balsâmico. O produtor ainda destaca que vale a calma na degustação, pois o vinho tem um aroma inicial e, na sequência, traz diferença nos aromas intermediários e finais, uma ótima opção para quem não gosta de vinhos monótonos e sim com personalidade, o nome é constituído da reunião das famílias Lencastre e Nunes de Matos (Lenuma).

Os vinhos da Avidagos chegam ao Brasil através da curadoria da Wine Bubbles & Celebrate, segundo a proprietária Rafaela Xavier, a previsão para o início da comercialização é para  a segunda quinzena de maio: “o Brasil precisa conhecer o vinho português além dos rótulos, sair do mesmo e ir além, Portugal tem muito mais a oferecer além do que nós temos acesso. Nossa proposta é trazer o melhor que Douro pode oferecer! Nós da Wine Bubbles buscamos vinhos diferenciados que se destaquem pela paixão, qualidade, posicionamento e principalmente pelo enredo que estas três características unidas remetem para o consumidor final e, é justamente o que apresenta a Quinta dos Avidagos”. Não temos dúvida que esta é uma aposta certa para o mercado brasileiro!” finaliza.

Detalhes da harmonização realizada no restaurante Delfina Cozinha Portuguesa:

Reserva Branco Arinto 2020 e Reserva Branco 2019

– Couvert: seleção de pães portugueses especiais, azeite com balsâmico e tapenade de azeitonas, peixinhos da Horta com tártaro de gengibre e limão, croquetes e pastéis de bacalhau macios e saborosos, combinaram perfeitamente com os vinhos iniciais.

MesmoTinto 2020 e Quinta dos Avidagos  Reserva Branco 2019

– Bacalhau a Delfina composto por lascas do lombo de bacalhau, grelos, batata nova, maionese, alcaparras e presunto crocante.

Quinta dos Avidagos Reserva Branco Arinto 2020

– O arroz cremoso de bacalhau com amêijoas e salada de polvo, coentros e folhas.

Quinta dos Avidagos Douro Além Tanha 2017  e Lenuma 2017

– Naco do lombo na grelha bovina com legumes e coentros.

Contatos:

-Quinta dos Avidagos

Alvações do Corgo – Santa Marta de Penaguião – 5030-021 – Portugal

email : [email protected]

instagram : avidagoswine

 

-Delfina Cantina Portuguesa

Praça do Município, 23 – Lisboa 1100-365 – Portugal

+351-212697445

-Wine Bubbles & Celebrate

[email protected] – Brasil

Confira mais detalhes sobre a Quinta dos Avidagos no Youtube e no Instagram:

Vinhos & Viagens

por Patrícia Ecave

Patrícia Ecave é jornalista, digital Influencer e sommelière paranaense. Trabalhou com radiojornalismo, assessoria de imprensa, eventos, produção de vídeos, funcionalismo público, gestão administrativa e gestão de pessoas. Realizou viagens enogastronômicas e cursos no país e no exterior, como Vale dos Vinhedos, Cone sul e Europa. Organiza workshops, cursos, jantares harmonizados, treinamento de equipes e consultoria geral. Escreve sobre viagens, vinhos e gastronomia.