Quinta-feira, 25 de Abril de 2024

A Ponta Grossa que nós queremos: Advogado Tito Fonseca frisa a necessidade de uma revitalização cultural na cidade

2020-09-29 às 08:06

No dia 15 de novembro, 240 mil eleitores ponta-grossenses devem comparecer às urnas para escolher o próximo prefeito do município. Até lá, os candidatos ao cargo vão encher as redes sociais – e, talvez, as ruas – com as suas propostas e planos de governo na tentativa de conquistar o voto do eleitor.

Para contribuir com o debate, a revista D’Ponta lançou uma série reportagens com empresários e lideranças locais para saber quais devem as prioridades do novo gestor.

Nas próximas duas semanas, você confere diariamente, um depoimento revelando qual é a Ponta Grossa que nós queremos.

Nesta terça-feira (29), a opinião é do advogado Tito Fonseca:

“Antes de qualquer coisa, o próximo prefeito vai ter que colocar a casa em ordem, após oito anos de uma gestão irresponsável, para depois se pensar no futuro. As dívidas do município são imensas, e o funcionalismo público consome mais de 60% do orçamento só em folha de pagamento. O patrimônio histórico está imprestável. A Vila Hilda, o Centro de Cultura e os demais locais estão no completo abandono. A área da cultura foi a mais negligenciada. O antigo Conservatório de Música foi desestruturado, acabaram com o convênio com a UEPG e sucatearam o pouco que existia. Lamentável”

Tito Fonseca, advogado e artista plástico