Segunda-feira, 27 de Maio de 2024

Gomyde aponta a gestão como parte da solução dos problemas do Paraná

2022-09-12 às 16:53

Os principais problemas do Paraná hoje poderiam ter soluções baseadas em uma boa gestão. É o que afirma o candidato do PDT ao Governo do Estado, Ricardo Gomyde. Ele fez uma análise, na manhã desta segunda-feira (12/09), dos caminhos para a educação, saúde, segurança pública, segurança hídrica e até os pedágios, em entrevista ao portal JBA Notícias, de Curitiba, editado pelo jornalista Marcos Batista.

“A Sanepar e a Copel foram criadas para dar água e energia boa e barata aos paranaenses e servir de apoio ao desenvolvimento do Estado. Hoje, essas empresas estão entregues a terceiros, gente de fora do Paraná e até de fora do Brasil. Todo o governo que entra troca as direções dessas empresas, é óbvio. Precisamos colocar gente com compromisso com o povo do Paraná. No corpo técnico da Sanepar e da Copel temos pessoas capacitadas. Hoje falta governo, falta gestão”, analisa Gomyde.

A mesma questão se aplica a outras áreas, de acordo com o candidato do PDT, como na educação, que necessita de mais investimentos na capacitação dos professores, no ensino integral e no ensino profissionalizante respeitando as vocações regionais, conforme consta em seu plano de governo. “O PDT é o partido da Educação, de Leonel Brizola e Darcy Ribeiro e que tem experiências positivas como no Ceará, Foz do Iguaçu e Curitiba”, lembra.

Na área da Segurança Pública, Gomyde afirma que a polícia não é o problema, mas a solução. “Não houve reposição de policiais. Eles não têm um plano de assistência psicológica ou de saúde. Nossos policiais, muitas vezes, são obrigados a ser vizinhos do traficante. Secar a farda atrás da geladeira para não se expor”, confirma.

Sobre o pedágio, o candidato reafirma que é possível adotar um modelo que permite a tarifa ser no máximo de R$ 5. “O atual governo teve a chance de mudar o modelo, com o fim dos contratos, e não o fez. Debati o assunto com o professor Fabio Scatolin, especialista da Universidade Federal do Paraná, e com os deputados da Frente do Pedágio. É possível adotar no Paraná o mesmo modelo das rodovias federais de Santa Catarina e São Paulo, de manutenção e conservação”, destaca.

Sobre os recursos para investir em todas as áreas, Gomyde destaca que é o papel do governador buscar as soluções, no Governo Federal e em organismos internacionais. “Além disso, precisamos de uma boa gestão tributária, ampliar a arrecadação sem aumentar impostos. Só em 2022, o Paraná teve R$ 17 bilhões em renúncias fiscais. É preciso passar um pente fino, deixar o que é realmente necessário, pequenas e micro empresas que vão trocar imposto por emprego, e fazer com que as empresas que pretendem obter incentivos se comprometam com o nosso salário mínimo regional, que hoje é de cerca de R$ 1.800 em alguns setores, para melhorar as condições do trabalhador paranaense”, conclui.

da assessoria