Sábado, 25 de Junho de 2022

D’P Agro: FT Sementes apresenta cinco novas cultivares de soja que prometem elevar os patamares de produtividade da região

10/04/2022 às 10:00

Um dos grandes destaques do 25o Show Tecnológico de Verão, a FT Sementes apresentou cinco novas cultivares de soja desenvolvidas especialmente para os Campos Gerais e que prometem elevar os patamares de produtividade da região

             Na safra 2021/2022, o Paraná deve produzir 11,63 milhões de toneladas de soja, o que ocupa 90% da área plantada de grãos no estado. Com o objetivo de aumentar a produtividade e trazer novas soluções para o campo, a empresa ponta-grossense FT Sementes, pioneira e referência em pesquisa de soja no Brasil, foi um dos destaques do 25º Show Tecnológico de Verão da Fundação ABC, ocorrido entre os dias 23 e 24 de fevereiro último. Durante o evento, a empresa apresentou aos sojicultores cinco novas cultivares de alta performance, ou seja, espécies da planta que foram melhoradas geneticamente com a alteração ou introdução de novas características.

“Apresentamos os nossos lançamentos mais recentes no Show Tecnológico, com novidades que vão elevar os patamares de produtividade da região”, diz o gerente comercial da FT Sementes, Djhonatan Lima, destacando que a empresa possui em seu portfólio cultivares diferenciadas, com alto potencial produtivo, resistentes às principais doenças que ameaçam a produtividade da oleaginosa e adaptáveis às mais diferentes condições climáticas (solo, altitude e latitude). “O evento também nos deu a oportunidade de passar ao produtor rural o posicionamento ideal das cultivares e levar ao campo o máximo potencial produtivo com a nossa genética de alta performance”, acrescenta.

            Mais produtividade e resistência

            De acordo com o engenheiro agrônomo Cristiano Portz, gerente de licenciamento da FT Sementes, as cultivares foram escolhidas para apresentação no Show Tecnológico por serem as que melhor se encaixam nos Campos Gerais. “Os materiais apresentados são os que melhor respondem em produtividade na região dos  Campos Gerais, possuem adaptação ao clima e os ciclos de maturação são os ideais”, enumera, ressaltando que é o que há de mais moderno no portfólio de cultivares da empresa. “São plantas com implantação rápida a campo, garantindo bom teto produtivo e resistência sanitária”, reforça.

“O evento nos deu a oportunidade de levar ao campo o máximo potencial produtivo com a nossa genética de alta performance”

Djhonatan Lima, gerente comercial da FT Sementes

            Novas cultivares

            Entre as novidades do último ano da FT Sementes, estão as cultivares FTR 2949 IPRO, FTR 3557 IPRO, FTR 158 RR, FTR 2660 IPRO e FTR 4262 IPRO. As novas variedades pertencem a diferentes grupos de maturação, isto é, parâmetros de latitude que indicam os locais onde a soja se desenvolve de forma mais rápida ou mais tardia. “As cultivares apresentadas na feira vêm com um escalonamento muito bom de grupos de maturação. Elas pegam desde o 4.9 em uma abertura de plantio até um 6.2 pensando em materiais de fechamento”, detalha, enfatizando que conhecer o período de desenvolvimento da planta no campo permite que o agricultor planeje a colheita, o manejo da planta e se prepare para a próxima safra.

            Diferenciais

Cristiano observa que o objetivo da FT Sementes é oferecer variedades de alta produtividade, boa sanidade radicular e resistência a doenças. Por conta disso, as novas cultivares, segundo ele, possuem como diferenciais a resistência total à fitóftora, problema recorrente nas lavouras da região Sul, e a tolerância aos nematoides de cisto (Raças 1,4+,10 e 14 +), galha, nematoide das lesões e nematoide reniforme.

Outra caraterística importante das novas cultivares, segundo o engenheiro agrônomo, é o PMS elevado, índice que representa o peso de mil grãos de soja. “Essa característica indica alta produtividade. Uma planta com PMS elevado tem maior número de vagens por posição de entrenó, cada uma com três e quatro grãos de soja. Tudo isso mostra que são materiais de altíssimo teto produtivo e que se estabelecem bem na lavoura”, explica.

            Pesquisa

O melhoramento genético, explica Cristiano, é realizado basicamente pela introdução de características desejáveis nas plantas através do retrocruzamento. “Realizamos o cruzamento de dois materiais distintos com características desejáveis de ambos e procura os filhos que mantêm as características que nós desejamos de pai e mãe”, resume, enfatizando que são necessárias várias linhagens até chegar a uma cultivar de alta produtividade e resistência. “São necessárias várias safras para conseguir chegar até o material comercial, com todos os testes que comprovam as suas características. Estimamos que, para chegar a uma nova cultivar, pode variar de quatro a seis anos, dependendo de quantas gerações do melhoramento conseguem ser feitas em um ano”, calcula.

“Os materiais apresentados são os que melhor respondem em produtividade na região dos Campos Gerais, possuem adaptação ao clima e os ciclos de maturação são os ideais”

Cristiano Portz, gerente de licenciamento da FT Sementes

            Dos laboratórios para o campo

Na visão do engenheiro agrônomo, o Show Tecnológico representa uma oportunidade para a FT Sementes apresentar os últimos lançamentos e as demais novidades que estão chegando ao mercado. “Buscamos, em nosso melhoramento genético, trazer soluções novas que possam reduzir o número de problemas no campo. Quem sai ganhando com isso é o produtor, que pode aumentar a rentabilidade e ter maior produtividade”, comenta, afirmando ainda que feiras são cruciais para que as novidades cheguem até quem mais precisa e possam de fato fazer a diferença nas lavouras.

            Show Tecnológico de Verão

A 25ª edição do Show Tecnológico de Verão aconteceu nos dias 23 e 24 de fevereiro e apresentou a maiores tecnologias para o campo. O evento é promovido pela Fundação ABC, instituição de apoio à pesquisa no agronegócio, e conta com incentivo das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal. A feira é responsável pela difusão de tecnologias, com foco na pesquisa e no apoio de empresas que atuam no país e no mundo na cadeia de produção de alimentos e forragem.

Conteúdo publicado originalmente na Revista D’Ponta #289 Março/Abril de 2022.